Aeroporto de Miami usa cães para identificar covid-19 em funcionários

|

Antes de irem para o trabalho, dezenas de funcionários do Aeroporto Internacional de Miami foram testados por um par de cães especialmente treinados que podem detectar covid-19. Até agora, o projeto piloto lançado em agosto detectou dois casos e será estendido até outubro, podendo ser expandido para outras instalações importantes. As informações são do Miami Herald.

Cobra, um Malinois belga, e One Betta, um pastor holandês, inspecionam os colaboradores em um posto de controle onde os funcionários são obrigados a remover as máscaras e balançá-las na frente de qualquer um dos cães. Os cães sentam para sinalizar se detectam um odor produzido por compostos orgânicos voláteis comuns aos infectados com covid-19, com uma precisão de 97,5% na detecção do vírus, disse o Dr. Kenneth Furton, reitor e vice-presidente executivo da Florida International University, em uma entrevista coletiva na semana passada.

“Depois de um início bem-sucedido, o programa foi estendido até o final de outubro, o que nos dá mais tempo para coletar dados valiosos sobre a precisão e eficiência do programa de detecção de covid-19 por cães. Como parece que vamos viver com esse vírus por um tempo, esses cães são uma forma eficaz de adicionar outra proteção contra o coronavírus”, disse Furton ao Miami Herald.

Cobra e One Betta trabalham nas segundas, quartas e sextas-feiras, das 11h às 15h. Durante os oito dias em que se apresentaram para trabalhar, o diretor de comunicações do Departamento de Aviação de Miami-Dade, Greg Chin, disse que os cães farejadores de covid-19 avaliaram 1.093 funcionários, ou cerca de 136 pessoas por dia.

Até o momento, os cães detectaram dois casos. Um funcionário testou positivo; o outro estava se recuperando da doença. Se os cães sinalizarem para covid-19, o colaborador fará um teste PCR e, se o resultado for positivo, será solicitado a sair e entrar em quarentena de acordo com as diretrizes do CDC.

Tanto as raças puras quanto as mestiças são adequadas para detectar a covid-19, disse Furton, em uma coletiva de imprensa neste mês. Cães sem experiência requerem de dois a três meses de treinamento. Alguns vêm com experiência anterior, como o Cobra, que foi treinado para detectar a murcha do louro, uma doença mortal comum aos abacateiros. Esses caninos requerem apenas duas a três semanas para aprender a detectar um novo cheiro.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA