EMPRESAS

Aéreas dos EUA pedem para não transportar crianças imigrantes

O American Airlines Group e a United Continental Holdings pediram ao governo americano para não transportarem em suas aeronaves crianças imigrantes separadas de suas famílias, após o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, abandonar sua política de “tolerância zero” nas fronteiras. As informações são da Bloomberg.

Dreamstime
Ambas as companhias aéreas encontraram um mistério central na crise política e de direitos humanos: autoridades federais não estavam dizendo como as crianças estavam sendo transportadas de perto da fronteira dos Estados Unidos com o México para uma rede de instalações de 17 Estados.
Flickr/ Gage Skidmore
Donald Trump, presidente dos EUA
Donald Trump, presidente dos EUA

“Com base em nossas preocupações sobre essa política e em como ela está em conflito com os valores da nossa empresa, contatamos autoridades federais para informá-las de que elas não devem transportar crianças em aviões da United separadas de seus pais”, informa o CEO da aérea, Oscar Munoz, em um comunicado via e-mail.

A Southwest Ailines emitiu uma declaração semelhante à da United e a Frontier Airlines e Spirit Airlines informaram que não levariam conscientemente as crianças para longe de suas famílias. Para a Delta, a ação separatista de Trump foi “desalentadora”.

As companhias aéreas disseram também que não sabiam se o governo estava transportando ou não os pequenos imigrantes em seus voos. A maioria das grandes aéreas tem contratos para levar funcionários federais, mas isso não significa que elas saibam quem exatamente está voando.

ASSOCIAÇÃO DE COMISSÁRIOS DE BORDO
A Association of Flight Attendants (CFA) questionou as companhias aéreas sobre como seus membros serão notificados caso haja crianças separadas em voos para obter orientação sobre como agir em tais situações.

O sindicato, o maior do país, disse que “condena qualquer ação para separar propositalmente os filhos de seus pais".


*Fonte: Bloomberg

conteúdo original: https://bloom.bg/2ypWhq8
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA