EMPRESAS

Abear se posiciona contra a mudança do horário de verão

Emerson Souza
A Abear, presidida por Eduardo Sanovicz, afirma que os viajantes poderão perder voos com o adiamento do início do horário de verão
A Abear, presidida por Eduardo Sanovicz, afirma que os viajantes poderão perder voos com o adiamento do início do horário de verão
A um mês das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), o Governo Federal adiou o início do horário de verão para o dia 18 de novembro - a previsão era dia 4 deste mês. E, embora o texto com a decisão ainda não tenha sido publicado no Diário Oficial da União (DOU), a Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear) se posicionou contrariamente à alteração.

Em nota, a associação declarou que é contrária à mudança, visto que "pelo menos três milhões de passageiros, em 42 mil voos das companhias associadas à Abear, serão afetados com o adiamento do início do horário de verão para o dia 18 de novembro."

Ainda de acordo com a entidade, a mudança trará sérias consequências para o planejamento da operação aérea e, consequentemente, para os consumidores com volume expressivo de passageiros podendo perder voos — pois os bilhetes foram adquiridos com antecedência.

"Por estas razões, a Abear solicitou à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Secretaria de Aviação Civil (Sa)c, Casa Civil e ministérios dos Transportes e Minas e Energia a manutenção da data prevista de início do horário de verão, dia 4 de novembro."

Por fim, a Abear reafirma que a antecedência na definição do período do horário de verão é fundamental para garantir o pleno funcionamento do setor — seja em voos domésticos (onde há diferentes fusos horários), seja em voos internacionais (conectividade com mais de 50 países). "Mudanças em curto período trazem riscos a toda a operação das companhias aéreas", finaliza.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA

As mais lidas agora