EMPRESAS

Avianca Brasil promete desenhar produtos para o corporativo


Os principais players do mercado, como consolidadores, TMCs e grandes operadores, têm recebido diariamente relatórios operacionais da Avianca Brasil, mostrando que os índices de ocupação, regularidade e pontualidade continuam altos.

Segundo fontes ouvidas pela PANROTAS, os níveis de venda em janeiro estão quase no mesmo patamar do mesmo mês em 2018, apesar da recuperação judicial e de estar operando com quatro aviões a menos.

As viagens corporativas representam cerca de 20% das vendas da Avianca Brasil, e a companhia, em seu plano de recuperação que será apresentado em 14 de fevereiro, espera que esse share aumente. Para isso, promete estar mais próxima das TMCs e dos gestores de Viagens das empresas (um substituto para Carol Gaete será contratado), e quer desenhar produtos específicos para o corporativo, como embarque prioritário e assentos diferenciados.

Outra fonte ouvida pela PANROTAS garante que os aeroportos mais usados pelo corporativo, como Santos Dumont, Congonhas, Brasília e Salvador, não sofrerão qualquer alteração de malha. A Avianca Brasil promete, em seu plano, que não sairá de nenhum destino nacional (só dos três internacionais – Miami, Nova York e Santiago). “Ajustes poderão ser feitos em frequências, mas a empresa não sairá de nenhum destino nacional, no total de 26”, informou essa fonte.

Claro que o plano precisará da aprovação do juiz Tiago Limongi, mas a empresa promete entregar garantias de pagamento aos credores, muitos dos quais já aceitaram esse novo desenho de malha.

Com esse anúncio de que a malha doméstica será mantida quase que intacta a Avianca Brasil acredita que o consumidor, de lazer e corporativo, terá mais segurança para comprar passagens para além do carnaval. A empresa ainda não definiu o tamanho do corte de funcionários, devido à saída do internacional.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA