EMPRESAS

Boeing reduz produção do 737 Max até corrigir software


Wikicommons/pjs2005
A Boeing anunciou que reduzirá de 52 para 42 o número de modelos 737 Max produzidos por mês ainda em abril. A medida é temporária até que a fabricante resolva os problemas de software e consiga nova certificação. O modelo se envolveu em dois acidentes fatais em menos de cinco meses.

“Estamos finalizando novos cursos de treinamento de pilotos e material educacional suplementar para nossos clientes globais do Max”, afirma o CEO da Boeing, Dennis Muilenburg, em comunicado. O executivo solicitou a criação de um comitê para revisar as políticas e processos em toda a empresa para o projeto e desenvolvimento dos aviões, além de recomendar melhorias em políticas e procedimentos. A Boeing também estendeu o cronograma para atualização do software.

“Quando o Max voltar aos céus, prometemos aos nossos clientes de companhias aéreas e aos seus passageiros e tripulações que será tão seguro quanto qualquer avião. Nossa abordagem disciplinada e contínua é a decisão certa para nossos funcionários, clientes, parceiros fornecedores e outras partes interessadas, enquanto trabalhamos com reguladores globais e clientes para que a frota do 737 Max atenda e cumpra nossos compromissos", finaliza.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA