EMPRESAS

Mesmo com crescimento do Brasil, Latam tem prejuízo de US$ 62 mi

O Grupo Latam Airlines informou receita operacional de US$ 40,2 milhões e 1,7% de margem operacional no segundo trimestre do ano. O resultado líquido aumentou em US$ 144,9 milhões no comparativo anual, mas ainda assim a empresa obteve prejuízo líquido de US$ 62,8 milhões no segundo trimestre de 2019.

As receitas totais tiveram aumento de 0,5% em relação ao ano anterior no segundo trimestre de 2019, para US$ 2.370,0 milhões. A receita por ASK (RASK) nas operações domésticas no Brasil teve crescimento de 29% em reais, compensando a maior parte das reduções do RASK nas operações internacionais e nas operações domésticas nos países de língua espanhola, devido à desvalorização da moeda.

Divulgação

As receitas de passageiros aumentaram em 3,2% durante o trimestre como um resultado de um aumento de 4,8% na capacidade, compensado por uma redução de 1,5% na receita consolidada por passageiro unitário (RASK). A diminuição do RASK de passageiros resultou de uma redução de 3,6% no rendimento, juntamente com um aumento de 1,8 p.p da taxa de ocupação. As reduções no RASK foram explicadas principalmente pela desvalorização das moedas na região e seu efeito sobre a demanda internacional de passageiros.

Durante o segundo trimestre, a Latam e suas afiliadas transportaram mais de 16,8 milhões de passageiros, um aumento de 1,4 milhão de passageiros em comparação com o segundo trimestre de 2018. Apenas nos mercados domésticos, os passageiros transportados aumentaram em 1,3 milhão, representando um aumento de 11% no comparativo anual e refletindo um ambiente de demanda saudável nestes países.

OS RESULTADOS NO BRASIL

As operações domésticas da Latam Airlines Brasil apresentaram um forte aumento de 29,5% do RASK em moeda local, o que ajudou a compensar as quedas do RASK em operações internacionais, que continua a ser afetado pelo impacto da desvalorização das moedas sobre a demanda internacional. Como resultado, o RASK consolidado diminuiu em 1,5% no comparativo anual, em comparação com um declínio de 12,3% no primeiro trimestre de 2019.

Durante o trimestre, a Latam fez mais avanços como parte de seu compromisso de oferecer ao cliente uma experiência líder no setor. Conforme esperado, a Latam Airlines Brasil se fundiu com a Multiplus S.A. após concluir a aquisição de 100% das suas ações em circulação. Além disso, a Latam Airlines Brasil recebeu o primeiro Boeing 777 com nova configuração de cabine, projetada para proporcionar uma experiência a bordo líder de mercado com mais opções, flexibilidade e personalização, para atender melhor as diferentes necessidades dos passageiros. Com a introdução gradativa das novas cabines em mais da metade da frota global do Latam Airlines Group, a empresa também aumentará a capacidade do sistema ao adicionar mais assentos por aeronave, reduzindo assim os custos por ASK.

Na operação doméstica de passageiros no Brasil - que representou 29,6% da receita total de passageiros do grupo todo no trimestre - a Latam aumentou a sua capacidade doméstica em 1,3% no comparativo anual, enquanto o tráfego medido em RPK aumentou em 4,8% no mesmo período que as receitas por ASK em moeda local aumentaram em 29,5% no comparativo anual, enquanto o tráfego medido em RPK aumentou em 4,8% no mesmo período.

Portanto, a taxa de ocupação consolidada aumentou em 2,7 pontos percentuais, para 79,9%. As receitas por ASK aumentaram em 18,7% no ano, em virtude da base de comparação menor devido à greve dos caminhoneiros no segundo trimestre de 2018 e à recuperação contínua na demanda doméstica, parcialmente compensada pela desvalorização do real, uma vez que as receitas por ASK em moeda local aumentaram em 29,5% no comparativo anual.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA