Latam deixa Oneworld em 1º de maio e termina acordo com AA

|


Wikicommons

A Latam Airlines anunciou hoje que deixa oficialmente a aliança Oneworld em 1º de maio (dentro de sua estratégia de associação à Delta Air Lines, uma das líderes da aliança Skyteam), mas afirmou em comunicado que manterá acordos bilaterais “com acesso à malha aérea e benefícios” com a maioria dos membros da Oneworld.

As empresas com quem a Latam terá acordos bilaterais são British Airways, Cathay Pacific, Finnair, Iberia, Japan Airlines, Malaysia Airlines, Qantas, Qatar Airways, Royal Jordanian, S7 Airlines e SriLankan Airlines. Nesses casos a empresa afirma que continuará a oferecer os seguintes benefícios ao cliente: compra de passagens aéreas em latam.com e sites de companhias aéreas parceiras para mais de 1.000 destinos em todo o mundo; acúmulo e resgate de pontos por meio dos respectivos programas de passageiro frequente; acesso recíproco às salas VIP, sujeito ao acordo final com cada companhia aérea; e reconhecimento de top tiers nos respectivos programas de passageiro frequente, sujeito ao acordo final com cada companhia aérea.

AMERICAN AIRLINES
Com a American Airlines não haverá mais acordos: “o grupo de companhias aéreas Latam encerrará seus acordos com a American Airlines para passageiro frequente e para acesso recíproco às salas VIP. A partir de 1º de maio de 2020, os clientes do Latam Pass não poderão acumular ou resgatar pontos em voos da American Airlines nem acessar as salas VIP da American Airlines”.

A Latam informa que respeitará “todos os bilhetes de voos da American Airlines que foram resgatados com pontos da atam Pass antes de 1º de maio de 2020, por até 12 meses após essa data”. Além disso, a Latam continuará respeitando o acúmulo de pontos, fora do acordo de passageiro frequente, para os clientes LATAM Pass que compraram passagens em voos da American Airlines antes de 1º de maio de 2020, por até 12 meses após essa data.


Emerson Souza
Jerome Cadier, presidente da Latam no Brasil
Jerome Cadier, presidente da Latam no Brasil

LATAM/DELTA

A partir de amanhã (1º de fevereiro de 2020), a Latam vai transferir as suas operações no Aeroporto Internacional John F. Kennedy (Nova York) do Terminal 8 para o Terminal 4, onde a Delta atende a mais de 90 destinos nos Estados Unidos, Canadá e outras partes do mundo. Clientes Latam da classe Premium Business e clientes das categorias mais altas do Latam Pass (categorias Black Signature, Black e Platinum) também terão acesso à sala VIP no Terminal 4.

As autoridades dos Estados Unidos e da Colômbia já deram aprovação regulatória para os acordos de codeshare anunciados em dezembro de 2019 entre Delta e Latam Airlines Peru, Latam Airlines Colômbia e Latam Airlines Equador, respectivamente. As afiliadas da Latam no Brasil e no Chile também planejam estabelecer acordos de codeshare com a Delta durante 2020. Em paralelo, a Latam está negociando com a Delta acordos para recíprocos acessos à sala VIP e benefícios de passageiro frequente, previsto para o primeiro semestre de 2020.

“Essas mudanças fazem parte do trabalho em andamento para implementar o acordo anunciado por Latam e Delta em setembro de 2019. O acordo prevê uma aliança estratégica para combinar as malhas aéreas altamente complementares das companhias e fornecer aos clientes uma experiência de viagem única e com maior conectividade, para mais de 435 destinos em todo o mundo, sujeita às aprovações governamentais e regulatórias”, finaliza a Latam em comunicado.

Por causa do acordo, a Delta comprou 20% das ações do Grupo Latam por US$ 1,9 bilhão e deixou a parceria no Brasil com a Gol Linhas Aéreas, que deve anunciar uma nova estratégia com relação a uma parceira americana em breve.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA