Ryanair registra queda de passageiros de 99,5% em maio

|

Divulgação/Ryanair
De acordo com o Simple Flying, a Ryanair registrou uma queda de 99,5% dos seus passageiros em maio comparado ao ano passado e continua a rejeitar os planos de quarentena impostos pelo governo britânico. A quarentena de duas semanas do Reino Unido abalou maioria das companhias aéreas do país e a Ryanair chamou o plano de "ineficaz, completamente inútil".

A companhia aérea publicou hoje vários argumentos contra o plano de quarentena. Em primeiro lugar, os passageiros que chegam aos aeroportos são livres para usar o transporte público para chegar à sua localização de quarentena. A Ryanair ressalta que, como esses passageiros não são detidos, eles podem espalhar o coronavírus antes de chegar à quarentena designada. A quarentena também foi criticada por ser inexequível, afirmando que apenas 1% das pessoas serão verificadas.

A Ryanair tem sido a maior porta-voz de todas as companhias aéreas em relação à quarentena planejada do Reino Unido. A transportadora irlandesa de baixo custo está planejando reimplementar rapidamente alguns voos após e a quarentena, que descreveu como "tardia", pode prejudicar seus planos. A aérea encerrou dizendo que os britânicos “ignorarão amplamente” a quarentena, uma vez que “não pode ser implementada, não pode ser policiada e não tem base científica”.

A Ryanair normalmente opera milhares de voos por dia. No entanto, desde que suspendeu amplamente suas operações, a transportadora opera cerca de 20 rotas e 701 voos, com uma média de 23 viagens por dia. Nesses voos, a companhia aérea transportou apenas 70 mil passageiros durante o mês de maio, cerca de 100 passageiros por voo, o que representa uma queda de 99,5% em relação aos 14,1 milhões que transportou em maio de 2019.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA