Setores de Óleo & Gás e Construção aquecem vendas da Gol

|


Emerson Souza
Eduardo Bernardes, VP da Gol
Eduardo Bernardes, VP da Gol
"Nós estamos assistindo ao retorno de demanda dos clientes, o que é promissor. Durante o trimestre nossas vendas cresceram em média de 18% a cada semana, e em resposta a isso, aumentamos a malha de julho para poder oferecer mais opções de viagens", disse o vice-presidente de Vendas e Marketing da Gol, Eduardo Bernardes, durante divulgação do balanço da empresa no segundo trimestre de 2020.

No final do trimestre, a empresa identificou uma recuperação nas vendas do segmento corporativo, especificamente em setores de óleo e gás e construção. “Com isso atingimos um market share de 50% ao final do período.”

Adicionalmente, a Gol afirma estar ampliando fontes de receita por meio da expansão de suas unidades de negócios, como o transporte de cargas com a Gollog e a manutenção de aeronaves com a Gol Aerotech.

"Desde que a demanda atingiu seu mínimo em meados de abril com 5% do nosso tráfego normal, vimos observando um consistente e bem-vindo aumento no volume de passageiros. Estamos comprometidos com a retomada gradual da nossa capacidade, e vamos continuar sendo a companhia reconhecida por ter o modelo de negócios mais adaptável e flexível, priorizando a segurança de clientes e colaboradores, com o melhor time e o mais baixo custo da aviação brasileira", adicionou Bernardes.

LEIA DESTAQUES DO BALANÇO 2T20 da GOL

FROTA

Junho foi marcado pelo crescimento de 60% nos indicadores de busca por passagens aéreas. Como reflexo desse maior interesse, a Gol registrou um aumento nas vendas de bilhetes de 108%, em todos os seus canais, comparativamente a maio. Com os voos adicionais durante esse mês, a receita de passageiros transportados aumentou 150% sobre maio.

A Gol destaca ainda que adequação da capacidade à demanda tem sido um diferencial da gestão de frota da companhia. Com melhor visibilidade quanto à recuperação, o cenário atual de planejamento da Gol prevê +300% no 3T20 sobre 2T20 e +120% no 4T20 em relação ao 3T20, mantendo significativa flexibilidade para responder às tendências do mercado.

Em julho a Gol operou 250 voos diários, com 36 aeronaves, de sua frota de 130. Isso significa 25% da operação diária de julho de 2019.

RECEITA
A receita líquida da Gol no segundo trimestre foi R$ 358 milhões, uma queda de 89% em relação ao 2T19. A receita mensal iniciou com R$ 104,3 milhões em abril e terminou com R$ 164,1 milhões em junho, representando um crescimento de 57% dentro do 2T20. As outras receitas totalizaram R$ 115 milhões, redução de 37% em comparação ao 2T19.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA