Virgin Atlantic pede recuperação judicial em Nova York

|


Wikicommons

A Virgin Atlantic entrou hoje com um pedido Chapter 15, o equivalente a recuperação judicial nas leis norte-americanas, tornando-se mais uma companhia aérea forçada a se reorganizar financeiramente após a pandemia do novo coronavírus. Além da Virgin, aéreas como Avianca, Aeromexico e Latam, além das gigantes Cirque du Soleil e Hertz, também pediram ajuda para reestruturas suas dívidas. As informações são do Business Insider.

A empresa aérea de Richard Branson, sediada em Londres, detida em 49% pela Delta Air Lines, opera exclusivamente rotas internacionais de longo curso. Por conta da pandemia, suspendeu todas as suas operações de passageiros em abril, e retornou de forma gradual em meados do mês passado. Ela é segunda companhia aérea do Grupo Virgin a pedir proteção contra falência. A Virgin Australia entrou com pedido de administração voluntária - uma forma de falência na Austrália - em abril.

O Chapter 15 é uma forma de falência projetada para casos que envolvem vários países. Ele fornece um mecanismo para empresas estrangeiras em processo de falência em seu próprio país para acessar o sistema judicial dos EUA.

Anunciada em 2019 como uma nova entrante estrangeira no mercado brasileiro, a Virgin estrearia no País em março deste ano. Chegou a adiar seu lançamento para outubro, mas em outubro anunciou o cancelamento definitivo do voo que ligaria SP a Londres.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA