Três agências concluíram voos de teste com Boeing 737 Max

|

Divulgação
Os testes foram realizados com o Boeing 737 Max 7
Os testes foram realizados com o Boeing 737 Max 7
Hoje (11), a agência Europeia para a Segurança da Aviação, EASA, revelou que concluiu seus voos de teste do Boeing 737 Max no Canadá. Os dados serão analisados antes de uma reunião do Conselho de Avaliação de Operações Conjuntas na próxima semana. Esta reunião contará com representantes de um grupo de autoridades da aviação avaliando a aeronave antes de seu retorno ao serviço. As informações são do portal Simple Flying.

O Boeing 737 Max já está parado há um ano e meio. O certificado de navegabilidade do modelo foi retirado após dois acidentes fatais que apresentavam fortes semelhanças. Desde o aterramento, a Boeing tem trabalhado com várias agências de certificação para colocar a aeronave de volta em serviço. A Transport Canada e FAA também já concluíram seus voos de teste com o 737 Max.

A EASA revelou que concluiu seus voos de teste do Boeing 737 Max. Devido às restrições de viagem relacionadas ao covid-19, os voos começaram e terminaram em Vancouver. No total, de acordo com dados do Flight Radar 24, seis voos de teste foram concluídos com um total de nove horas e meia. A aeronave utilizada para os testes é o N7021S, um Boeing 737 Max 7, o menor membro da família Max.

Agora, as três agências (EASA, Transport Canada e FAA), ao lado de representantes de outros países, como o Brasil, vão se reunir em Londres na próxima semana para discutir seus dados e um caminho potencial para a certificação.

A EASA disse que está procurando "devolver a aeronave Boeing 737 Max ao serviço o mais rápido possível, mas apenas quando estivermos convencidos de que é seguro”.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA