Air Canada firma acordo sobre programa de liquidez com o Canadá

|


Divulgação
Entre os compromissos da aérea está a retomada para as comunidades regionais onde a operação foi suspensa
Entre os compromissos da aérea está a retomada para as comunidades regionais onde a operação foi suspensa
A Air Canada anunciou uma série de acordos de financiamento de dívida e patrimônio líquido firmada com o governo do Canadá. Os acordos permitirão à empresa acessar até 5,87 bilhões de dólares canadenses (R$ 26,68 bilhões) em liquidez por meio do programa Large Employer Emergency Financing Facility (LEEFF).

"Há mais de um ano, em relação ao seu tamanho, a Air Canada entrou na pandemia com um dos balanços patrimoniais mais sólidos da indústria aérea global. Desde então, levantamos 6,8 bilhões de dólares canadenses adicionais em liquidez de nossos próprios recursos para nos sustentar durante a pandemia, com o tráfego aéreo praticamente paralisado no Canadá e internacionalmente", disse o presidente e CEO da Air Canada, Michael Rousseau.

De acordo com Rousseau, o programa permite resolver da melhor maneira os casos de clientes com passagens não reembolsáveis, manter a força de trabalho e reinserir a empresa nos mercados regionais. "Ainda mais importante, é que este programa fornece liquidez adicional, se necessário, para reconstruir nosso negócio para o benefício de todas as partes interessadas. Além disso, nos permite continuar contribuindo significativamente para a economia canadense por meio de sua recuperação a longo prazo. À medida que o desenvolvimento de vacinas aumenta, continuamos trabalhando com o governo do Canadá na evolução de testes seguros e científicos, assim como de medidas de alívio de quarentena, cujo objetivo é reiniciar nosso setor com segurança", disse.

O pacote financeiro é composto por ingresso bruto de 500 milhões de dólares canadenses (R$ 2,2 bilhões) para as ações da Air Canada; 1,5 bilhão de dólares canadenses (R$ 6,8 bilhões) em forma de uma linha de crédito rotativo garantida a um prêmio de 1,5% em relação à taxa oferecida em dólares canadenses; 2,47 bilhões de dólares canadenses (R$ 11,2 bilhões) na forma de três linhas de crédito não rotativas, sem garantia de 825 milhões de dólares canadenses cada; e até aproximadamente 1,4 bilhão de dólares canadenses (R$ 6,36 bilhões) da linha de crédito sem garantia para dar suporte a reembolsos de clientes de passagens não reembolsáveis. A linha de crédito terá prazo de sete anos e taxa de juros anual de 1,211%.

COMPROMISSOS DA AIR CANADA

Como parte do pacote financeiro, a Air Canada concordou com uma série de compromissos relacionados a reembolsos de clientes, operação de serviços para comunidades regionais, restrições ao uso de fundos fornecidos, emprego e despesas de capital. A partir desta terça-feira (13), a aérea oferecerá aos clientes elegíveis que compraram tarifas não reembolsáveis, mas que não viajaram devido à pandemia desde fevereiro de 2020, a opção de reembolso na forma de pagamento original.

Os compromissos também incluem a retomada do serviço ou o acesso à rede da Air Canada para quase todas as comunidades regionais onde o serviço foi suspenso devido ao impacto da covid-19 nas viagens; a restrição de gastos e dividendos, recompras de ações e remuneração de executivo sênior; obrigações de manter o emprego em níveis não inferiores aos de 1º de abril de 2021; e a conclusão da aquisição de 33 aeronaves Airbus 220, fabricadas na unidade Mirabel da fabricante, em Quebec. A companhia também concordou em concluir seu pedido de 40 aeronaves Boeing 737 Max. A conclusão desses pedidos permanece sujeita aos termos e condições aplicáveis dos contratos de compra.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA