EUA e União Europeia resolvem disputa comercial Boeing-Airbus

|

Os Estados Unidos e a União Europeia entraram em um acordo, durante uma cúpula em Bruxelas com a presença da presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, e do presidente norte-americano, Joe Biden, na disputa que já durava 17 anos sobre subsídios de aeronaves da Boeing e Airbus. As partes concordaram em suspender as tarifas por cinco anos. As informações são da CNBC.

Divulgação Boeing
EUA e União Europeia resolvem disputa comercial Boeing-Airbus
EUA e União Europeia resolvem disputa comercial Boeing-Airbus
Segundo a presidente da Comissão Europeia, o acordo abre um novo capítulo no relacionamento entre a Europa e os EUA, já que passaram de um litígio para uma cooperação.

Ambas as partes agora têm mais tempo e espaço para encontrar uma solução duradoura por meio do novo Grupo de Trabalho sobre Aeronaves, ao mesmo tempo em que economizam bilhões de euros em taxas para importadores dos dois lados do Atlântico.

Ainda de acordo com a publicação, a UE estava, na semana passada, pressionando a Casa Branca para chegar a um acordo para acabar com as tarifas comerciais impostas durante o governo Donald Trump, em relação à disputa entre as fabricantes de aeronaves que surgiu em 2004.
Divulgação/ Airbus
A220-300,Airbus
A220-300,Airbus

O primeiro a tributar as exportações do outro foram os EUA, quando Trump anunciou tarifas no valor de US$ 7,5 bilhões, com o apoio da OMC. A UE respondeu um ano depois, impondo taxas sobre produtos norte-americanos no valor de US$ 4 bilhões.

Como parte do decisão, a União Europeia e os EUA concordaram em fornecer financiamento para pesquisa e desenvolvimento por meio de um processo aberto e transparente, bem como não dar apoio específico, como incentivos fiscais, aos seus próprios produtores que prejudicariam o outro lado.

A ideia é também colaborar no tratamento de práticas não mercantis conduzidas por outros países, incluindo a China, que está desenvolvendo suas próprias aeronaves civis.


*Fonte: CNBC

conteúdo original: https://cnb.cx/3gEwehJ
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA