American Airlines termina 2021 com prejuízo, mas orgulhosa

|

Divulgação/AA
Aérea registrou prejuízo líquido anual de US$ 2 bilhões
Aérea registrou prejuízo líquido anual de US$ 2 bilhões
A American Airlines divulgou hoje (20) seus resultados financeiros do quarto trimestre e do ano de 2021, incluindo prejuízo líquido anual de US$ 2 bilhões, ou US$ 3,09 por ação. Excluindo itens especiais, o prejuízo líquido do ano inteiro foi de US$ 5,4 bilhões, ou US$ 8,38 por ação. A aérea transportou mais de 165 milhões de passageiros em 2021. Confira abaixo destaques dos resultados trimestrais.

  • Receita do quarto trimestre de US$ 9,4 bilhões, queda de 17% em relação ao mesmo período de 2019, com redução de 13% no total de milhas de assentos disponíveis (ASMs) em relação ao mesmo período de 2019.
  • Prejuízo líquido no quarto trimestre de US$ 931 milhões, ou (US$ 1,44) por ação. Excluindo itens especiais líquidos1 o prejuízo líquido do quarto trimestre foi de US$ 921 milhões, ou (US$ 1,42) por ação.
  • Encerrou o quarto trimestre com US$ 15,8 bilhões de liquidez total disponível, o maior saldo de liquidez de fim de ano na história da empresa.
“Ao encerrarmos o segundo ano de operação em uma pandemia global, estamos incrivelmente orgulhosos da equipe da American Airlines”, disse o presidente e CEO da American, Doug Parker. “No ano passado, experimentamos períodos de alta demanda de viagens contrabalançados por períodos de demanda reduzida devido a novas variantes do covid-19. Essa volatilidade criou o ambiente de planejamento mais desafiador da história da aviação comercial. No entanto, a equipe da American trabalhou, crescendo mais rápido e mais do que qualquer outra companhia aérea dos EUA, para atender a essa demanda imprevisível. Olhando para o futuro, estou animado com o futuro da American com Robert Isom como seu novo CEO. Embora ainda tenhamos trabalho a fazer enquanto a recuperação da pandemia continua, não tenho dúvidas de que o melhor ainda está por vir para a American”, completou.

Para todo o ano de 2021, a American alcançou seu melhor desempenho em chegadas pontuais, partidas pontuais e fator de conclusão desde a pandemia, apesar de voar significativamente mais do que qualquer outra companhia aérea. O desempenho operacional relativo da American foi particularmente forte durante o importante período de fim de ano. O desempenho pontual da empresa em dezembro foi melhor do que qualquer dezembro nos anos anteriores à pandemia, e a American teve um desempenho melhor do que seus principais concorrentes nessas métricas operacionais durante o mês.

A American continuará a combinar sua capacidade futura com as tendências de reservas observadas. Com base nas tendências atuais, a empresa espera que sua capacidade no primeiro trimestre de 2022 diminua aproximadamente 8% a 10% em comparação com o primeiro trimestre de 2019. A American espera que sua receita total no primeiro trimestre diminua aproximadamente 20% a 22% em relação ao primeiro trimestre trimestre de 2019.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA