Lufthansa Group chega a 90% da oferta pré-pandemia

|

O Lufthansa Group está, atualmente, com quase 90% da oferta que era oferecida antes da pandemia, em 2019. Ainda há países fechados, como na Ásia, mas a América do Sul, desde o início, assim como o Brasil, desponta pela importância, por isso o grupo sempre colocou capacidade nestas regiões. Em termos de destino, a empresa está oferecendo 85% do pré-covid – 260 no total, em 102 países no mundo.

Annette Taeuber, do Lufthansa Group
Annette Taeuber, do Lufthansa Group
“Vimos como primeiro sinal da demanda o visit friends and relatives – visitar amigos e parentes, com muitas viagens para os países de origem. O segundo movimento foi o de Turismo de luxo. Focado em lugares novos, abertos, na natureza. O Lufthansa Group acompanhou isso e lançamos vários destinos inéditos para nós”, conta a diretora de Vendas Brasil do grupo, Annette Taeuber.

INVESTINDO EM PRODUTOS

Em relação a investimentos em serviços e produtos, no primeiro semestre será lançada a Premium Economy da Swiss e o Brasil será uma das primeiras rotas a ter esta cabine, já que opera com o B777. A poltrona reclinará 31 graus, a tela touch screen será maior, os passageiros serão recebidos com um drinque de boas-vindas, terão direito a duas malas de 23 quilos, entre outros benefícios. “Esta classe foi um sucesso na Lufthansa, por isso vamos lançar mundialmente na Swiss.”

O grupo também negociou aeronaves e está recebendo cinco novos Boeing 787-900 Dreamliners, além de quatro leasings do A350-900 para poder operar ainda neste ano, no primeiro semestre. Um dos motivos pelo qual a rota no Rio será feita com este avião.

SUSTENTABILIDADE E NDC
Dois dos principais focos do Lufthansa Group durante o ano de 2022 será a sustentabilidade e o NDC – temas estes que, aliás, estão desde sempre nas prioridades da empresa. O grupo tem uma série de ações para minimizar o impacto ao meio ambiente, sendo a aérea número um na compra de SAF (sustainable aviation fuel, combustível de aviação sustentável) na Europa.

“Também temos a ferramenta Compensate, voltada aos passageiros que podem decidir como querem deduzir sua emissão. Os clientes corporativos podem comprar certificado SAF para deduzir em seu balanço ecológico... Estamos tornando bem transparente essa questão de qual é a pegada da empresa, quanto gerou e como compensar. Nosso objetivo mundial é reduzir em 50% as reduções em 2030. E, em 2050, sermos neutros na emissão de carbono. Nosso lema é unir pessoas, culturas e economia, de forma sustentável, afirma a executiva.

Quanto ao NDC, Annette conta que esta foi uma história de sucesso para o grupo, pois ele soube focar, logo no início, em um tema que ainda tem muito para despontar no futuro. A empresa já realiza uma série de treinamentos com agências – mais de 2,5 mil agentes de viagens até o momento –, além de eventos e webinars. O objetivo é continuar forte neste ano.

 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA