Latam e Delta têm joint venture aprovada pelo Cade

|


Pixabay

A joint venture entre Delta Air Lines e Latam foi aprovada hoje pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), em acordo, assinado em 2019, (quando a empresa norte-americana comprou 20% da sul-americana) que combina as duas malhas aéreas entre a América do Sul e América do Norte. O Cade aprova a aliança sem restrições. O compartilhamento envolve, além do Brasil e dos Estados Unidos, o Chile, a Colômbia, O Paraguai, o Peru, o Uruguai e o Canadá.


Ainda no julgamento de hoje, o tribunal abriu outro processo, no âmbito da relação entre Delta e Aeromexico, para apurar se a companhia dos Estados Unidos tem mais influência na administração da mexicana do que foi informado ao Cade em princípio. Isso porque, juntas, Latam, Delta e Aeromexico representam a maior oferta entre São Paulo e Cidade do México.

Flickr/redlegsfan21
Delta Air Lines é uma das maiores empresas aéreas dos Estados Unidos
Delta Air Lines é uma das maiores empresas aéreas dos Estados Unidos

Advogada da Delta, Paola Pugliesi negou que tenha havido informações enganosas e solicitou que o processo não seja reaberto, o que foi negado pelo tribunal.

Divulgação
Grupo Latam Airlines tem Chile e Brasil como seus principais mercados
Grupo Latam Airlines tem Chile e Brasil como seus principais mercados
Em setembro de 2020, o Cade já havia aprovado, em primeira análise, o negócio entre Latam e Delta, mas o tribunal do conselho optou por aprofundar a análise. Agora o acordo recebeu sinal positivo. O conselheiro relator do caso, Luis Braido, aponta que a sobreposição de rotas sobreposição em rotas como GRU-JFK, GRU-MIA, GRU-ORL e GRU-MEX não geram preocupações concorrenciais, "pela não existência de barreiras significativas de entradas de competidores em relação à infraestrutura aeroportuária, e elevada rivalidade entre outras empresas do mercado, como a American Airlines".

*Atualizada às 15h38
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA