PESQUISAS E ESTATÍSTICAS

Preço de passagens cresce após cancelamentos da Avianca


Divulgação/Avianca
Oferta cai e preços sobem, de acordo com o Kayak
Oferta cai e preços sobem, de acordo com o Kayak
Em processo de recuperação judicial, a crise da Avianca refletiu no preço das passagens de voos domésticos. O Kayak fez uma comparação entre as buscas nas rotas nacionais operadas pela Avianca, antes e depois do anúncio dos primeiros cancelamentos, e foi identificado um aumento de 14% nos preços médios das demais companhias. O preço médio, considerando o período de 15 dias antes ( 29/3 e 12/4) e 15 dias depois do anúncio dos primeiros cancelamentos (13/4 a 28/4), passou de R$ 630 para R$ 717,60.

“Com os cancelamentos, a oferta de voos nacionais diminui e os preços aumentam. É a lei da oferta e da demanda. Além disso, o volume total de buscas no Kayak aumentou 40% após o anúncio dos primeiros cancelamentos, o que sugere uma maior preocupação dos brasileiros com o planejamento de suas viagens”, afirma o líder de Operações do Kayak no Brasil, Eduardo Fleury.

Confira os dez destinos que ficaram mais caros:

Destino
Preço médio de passagens antes
Preço médio depois
Percentual de aumento
1. Brasília
R$ 663
R$ 1.127
+70%
2. Petrolina
R$ 962
R$ 1.191
+24%
3. Vitória da Conquista
R$ 1.012
R$ 1.181
+17%
4. Goiânia
R$ 738
R$ 858
+16%
5. Campo Grande
R$ 774
R$ 890
+15%
6. Maringá
R$ 839
R$ 956
+14%
7. Ribeirão Preto
R$ 763
R$ 858
+ 12%
8. Maceió
R$ 1.169
R$ 1.299
+11%
9. Foz do Iguaçú
R$ 885
R$ 980
+11%
10. Aracajú
R$ 986
R$ 1.092
+ 11%
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA