PESQUISAS E ESTATÍSTICAS

Iata reduz expectativa de lucro da aviação em 2019

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata) prevê redução nas expectativas de lucro da aviação internacional para 2019, passando de US$ 35,5 bilhões para US$ 28 bilhões. De acordo com a entidade, os principais motivos para a deterioração da previsão são o aumento no preço dos combustíveis e o enfraquecimento de relações comerciais globais.

Divulgação
Alexandre de Juniac, diretor geral e CEO da Iata
Alexandre de Juniac, diretor geral e CEO da Iata
Segundo a análise da Iata, na comparação com o ano passado, os custos gerais de operação devem subir 7,4% em 2019, enquanto as receitas devem crescer 6,5%. Como resultado, acredita-se que a margem líquida girará em torno de 3,2%, enquanto o lucro por passageiro será de US$ 6,12, US$ 0,73 a menos que o registrado em 2018.

“Este será o décimo ano consecutivo em que a indústria da aviação ficará no azul, mas as margens estão sendo espremidas pela escalada dos custos ao redor do planeta, incluindo combustível, mão de obra e infraestrutura. As transações internacionais também estão enfraquecidas, principalmente pela guerra comercial travada entre Estados Unidos e China”, comentou o diretor geral e CEO da Iata, Alexandre de Juniac.

“Estas situações afetam, principalmente, o transporte de cargas, mas passageiros também podem sentir tais impactos caso as tensões sigam aumentando. As companhias aéreas fecharão o ano com lucro, mas não há dinheiro fácil nesse negócio”, completou.

De acordo com as previsões da Iata, os combustíveis serão responsáveis por cerca de 25% dos custos das operações aéreas, com o barril de petróleo (tipo Brent) girando em torno de US$ 70. Em 2017, por exemplo, o mesmo barril custava US$ 54,90. Considerando todas as despesas do setor, a aviação deverá dispender mais de US$ 822 bilhões em 2019.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA