Oferta de voos domésticos recua para 52% da malha pré-crise

|


PANROTAS / Emerson Souza
Em janeiro, as companhias haviam alcançado pico de 75% da malha aérea regular
Em janeiro, as companhias haviam alcançado pico de 75% da malha aérea regular
Com o agravamento da pandemia de covid-19 no País, as companhias aéreas nacionais registram uma média de 1.258 partidas diárias domésticas neste mês, ou praticamente a metade (52,4%) da quantidade de decolagens do início de março de 2020 - antes das medidas de isolamento social e fechamento das fronteiras. Isso é o que mostra um levantamento da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear), com dados da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

Essa queda acontece após as empresas aéreas terem registrado, desde maio, uma retomada gradual da demanda por voos domésticos, alcançando o pico de 1.798 decolagens diárias em janeiro, ou 75% da oferta diária de partidas em relação ao início de março de 2020. O agravamento da pandemia já havia impactado a quantidade de voos em fevereiro, quando a média diária recuou para 1.469, o que equivale a 61,2% da malha aérea pré-crise.






 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA