Aéreas têm aumento na receita de serviços auxiliares em 2020

|

Divulgação
Parte do aumento da receita de serviços auxiliares foi devido à menor receita de assentos durante a pandemia
Parte do aumento da receita de serviços auxiliares foi devido à menor receita de assentos durante a pandemia
Enquanto o tráfego de passageiros aéreos e as receitas caíram mais de 50% em 2020 devido ao impacto da covid-19, várias companhias tiveram um aumento na receita de seus produtos e serviços auxiliares. De acordo com o 2021 CarTrawler Yearbook of Ancillary Revenue, produzido por IdeaWorksCompany, as empresas Allegiant, Spirit, Viva Aerobus e Wizz Air registraram mais de 50% de sua receita total vinda das vendas de serviços auxiliares no ano passado.

Wizz Air está no topo - com receitas auxiliares respondendo por 55,9% de sua receita total, que o relatório diz que bate o recorde anterior de 47,6% do Viva Aerobus em 2018.

O relatório inclui dados divulgados voluntariamente por 75 companhias aéreas em todo o mundo. Setenta e três dessas companhias aéreas faziam parte do relatório do ano anterior e, para elas, a receita auxiliar total caiu US$ 34,7 bilhões em 2020.

Junto com as quatro companhias aéreas que ultrapassaram o limite de 50% em 2020, 50 companhias aéreas viram sua "receita auxiliar como um aumento percentual da receita total” em 2020 em comparação com 2019. E para as 75 companhias aéreas que forneceram dados, a receita auxiliar representou 14,6% da receita total, um aumento de 12,1% em 2019.

Parte disso, é claro, foi devido à menor receita de assentos durante a pandemia. Como o relatório reconhece, “os melhores resultados para 2020 ocorreram porque as tarifas foram descontadas durante a pandemia (representando uma fatia menor da torta de receita) e as tarifas para os principais serviços à la carte, como bagagem despachada e assentos atribuídos, eram mais altas”.

Mas a diretora comercial do CarTrawler, Aileen McCormack, diz que isso também mostra o poder da receita auxiliar como fonte de apoio para as companhias aéreas. “Você viu algumas operadoras importantes que, durante a pandemia, a receita auxiliar era mais da metade de suas receitas, o que é incrível, visto que não é seu negócio principal”, diz ela.

“Isso também mostra o apetite dos viajantes para comprar produtos não essenciais das companhias aéreas, para confiar nas companhias aéreas na compra, seja no aluguel de automóveis, na mobilidade, nos hotéis, atividades, outros produtos. E reforça a peça do ponto de vista da receita em torno de quanto as companhias aéreas podem se beneficiar se tiverem uma estratégia de receita auxiliar adequada”, completou Aileen.

O relatório indica que os passageiros também demonstraram disposição para pagar por coisas que acreditam reduzir o risco de exposição ao vírus da covid, como assentos na frente da cabine para permitir uma saída rápida do avião e assentos com espaço pessoal extra.

McCormack diz que todas as companhias aéreas com que trabalha estão revisando suas estratégias auxiliares, em busca de novas oportunidades para maximizar essa fonte de receita. Uma oportunidade que ela diz que as operadoras podem estar perdendo está relacionada à ideia de bloquear os assentos intermediários: em vez de não fazer isso ou para todo o avião, McCormack sugere que as companhias aéreas poderiam gerar receita mantendo os assentos intermediários vazios em algumas fileiras e cobrando mais por assentos em ambos os lados.

O relatório diz que outro tipo de receita auxiliar - de programas de passageiro frequente que vendem milhas ou pontos para parceiros como cartões de crédito de marca compartilhada, redes de hotéis, locadoras de veículos e varejistas - também foi crucial para as companhias aéreas, uma vez que não está ligada ao tráfego de passageiros.

As cinco maiores companhias aéreas dos Estados Unidos - Alasca, América, Delta, Southwest e United - geraram US$ 19,5 bilhões em programas de passageiro frequente em 2019, o que equivale a US$ 25,71 por passageiro, com 90% disso em programas de cartão de crédito de marca compartilhada. Em 2020, esse número caiu para US$ 11,1 bilhões, mas em uma base por passageiro que totalizou um aumento de 46,4% para US$ 37,64 por passageiro.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA