Sita da dicas para recuperação da aviação pós-pandemia

|

Divulgação
A Sita produziu um novo relatório abordando o que será necessário para a aviação depois da pandemia do novo coronavírus. Para a empresa de tecnologias, todas as facetas da operação e experiência da aeronave precisarão ser flexíveis e se adaptar rapidamente, a fim de atender a mudanças nas restrições, exigências e demandas de passageiros.

Essa mudança digital exigirá experiência, tecnologias e inovação confiáveis para permitir que as equipes digitalizem e automatizem as operações sempre que possível; aumentar a eficiência de tempo e custo em toda a companhia aérea; garantir que os passageiros se sintam seguros e satisfeitos ao voar e promover práticas sustentáveis.

O documento "Potencializando a recuperação pós covid-19" aborda o motivo pelos quais recursos conectados serão essenciais no novo normal da aviação. "A crise do COVID-19 trouxe um dos maiores choques para o setor aéreo da história. Sinais esperançosos de demanda por serviços aéreos estão começando a reaparecer. No entanto, também sabemos que emergindo da pandemia e avançando, será exigido flexibilidade e adaptabilidade absolutas de todos os envolvidos", afirmou o vice-presidente de estratégia, produto e marketing da Sita, Yann Cabaret.

Entre as dicas da Sita estão: a digitalização para melhor uso dos recursos; conectividade a bordo para realizar pagamentos e procedimentos pelo celular; colaboração entre os setores para a criação de dados e informações; e evoluir as comunicações da aeronave para atender às novas necessidades de companhias aéreas e organizadores do espaço aéreo.

Além de Cabaret, contribuíram para o relatório Igor Dimnik, diretor de aplicativos de companhias aéreas e OCC; Sabine Taillardat, líder de equipe e serviços de conectividade de cabine; Pierre-Yves Benain, chefe de gerenciamento de dados de aeronaves; e Andy Hubbard, chefe de comunicações de cabine.

Confira o documento completo.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA