Ryanair acusa OTAs de bloquear reembolso de clientes

|

Divulgação
A Ryanair, companhia aérea de baixo custo na Europa, tem dedicado boa parte de seu tempo a processar os pedidos de reembolso de passageiros, e acredita que até o final deste mês terá concluído a operação que inclui remarcações e cartas de crédito para viagens futuras.

No entanto, a companhia denunciou às autoridades europeias, que vem tendo dificuldades com algumas OTAs, que não têm fornecido detalhes das reservas para que a empresa faça o processamento dos reembolsos. Ou seja, as empresas on-line estariam bloqueando o acesso e assim segurando o reembolso ou remarcações dos clientes.

“Uma minoria significativa dos reembolsos que a Ryanair deve processar está bloqueada porque as agências de viagens on-line (OTAs) utilizam e-mails falsos e cartões de crédito virtuais quando fazem reservas, impedindo que estas reservas possam ser rastreadas até ao consumidor individual. Por conseguinte, a Ryanair pede a todos os clientes que ainda não receberam o seu reembolso que contatem o Serviço de Atenção ao Cliente da sua OTA para garantir que as instruções enviadas nos e-mails de notificação da Ryanair foram seguidas e para confirmar que a OTA está cooperarand com a Ryanair para que estes pedidos possam ser processados”, disse a companhia aérea em comunicado oficial.

O CEO da Ryanair, Eddie Wilson, disse que "mais de 90% dos passageiros que reservaram diretamente com a Ryanair e solicitaram um reembolso entre março e junho irão recebê-lo antes do final de julho”. “Contudo, preocupa-nos que um número significativo de clientes que fizeram reservas através de OTAs não autorizadas ainda não tenha recebido os seus reembolsos porque as empresas on-line forneceram à Ryanair e-mails falsos ou detalhes de cartões de crédito virtuais”, alerta.

MIL VOOS POR DIA
A Ryanair está programando 1.000 voos diários este mês em toda a Europa e até hoje tem uma promoção de 500 mil lugares a 19,99 euros, para viagens em agosto e setembro.

“Os 1.000 voos diários marcam um importante ponto de virada para a Ryanair e para a indústria do Turismo na Europa, da qual dependem tantos postos de trabalho e pequenas empresas. A Ryanair, juntamente com os seus parceiros do aeroporto, segue as recomendações sanitárias estabelecidas pela EASA e pelo ECDC para garantir que os clientes e as suas famílias possam viajar em segurança, minimizando o risco de covid-19. É hora da Europa voltar a voar e de reativar a indústria turística europeia. A Ryanair orgulha-se de liderar esta iniciativa, oferecendo mais de 1.000 voos diários a partir de 19,99 euros por trajeto para viajar nos meses de verão”, declarou o CEO do Grupo Ryanair, Michael O’Leary.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA