Setur-DF e ABIH lançam manual de boas práticas

|

A Secretaria de Turismo do Distrito Federal e a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do DF (ABIH-DF) lançaram o “Manual de Boas Práticas no Combate à covid-19”, cujo objetivo é orientar todo o setor hoteleiro da capital federal para evitar a disseminação do novo coronavírus por meio de protocolos que visam à proteção de seus colaboradores e hóspedes.

As medidas englobam o setor de alimentos e bebidas, higiene geral, limpeza e higienização de ambientes, comunicação, monitoramento das condições de saúde no ambiente de trabalho, recepção de hóspedes, e questões gerais que tratam sobre a disponibilização da cartilha preparada pelo Ministério da Saúde.

A iniciativa se soma a uma série de medidas promovidas pelo GDF e pela iniciativa privada que firmam Brasília como um destino seguro.

Divulgação
Lançamento aconteceu nesta quinta-feira (25), em Brasília
Lançamento aconteceu nesta quinta-feira (25), em Brasília
O manual foi elaborado a partir das recomendações expedidas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e com base em decreto distritais e federais para organizar boas e adequadas práticas no DF para restabelecimento das operações hoteleiras, conferindo uma maior segurança e confiabilidade aos hóspedes e colaboradores nas operações da rede hoteleira.

“Nós precisávamos ter um olhar atento sobre essa volta e nos unimos para pensar em uma retomada com todo cuidado e cautela, por isso, estamos aqui para lançar o manual, reafirmando mais uma vez a confiança e o compromisso do Governo do Distrito Federal com toda nossa população no combate a essa pandemia”, disse a secretária de Turismo do DF, Vanessa Mendonça.

Já a presidente da ABIH-DF, Adriana Pinto, afirmou que o material é fundamental para o setor, pois atende todos os departamentos da hotelaria. “A nossa associação conta com 39 hotéis, 11.718 leitos, e o setor recebeu a iniciativa muito bem. Encontramos uma forma de traduzir a legislação em medidas práticas e objetivas, separando por departamentos e em uma linguagem acessível”, disse.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA