ALTERNATIVO

Chapada dos Guimarães: fácil de chegar, difícil de sair

Localizada a cerca de 75 quilômetros de Cuiabá, no Mato Grosso, a Chapada dos Guimarães é a chapada brasileira que conta com o mais fácil acesso para turistas, porém, ir embora dela já não é tão simples assim. Criado em 1989, o parque nacional tem mais de 30 mil hectares e abriga áreas de cerrado, bosques ciliares, extensões de campos rupestres e uma série de atrativos naturais perfeitos para serem visitados tanto por viajantes aventureiros como por aqueles que buscam apenas descansar em meio a cenários encantadores.

Wikicommons/Lucas Cembranelli
Cachoeira Véu de Noiva é um dos principais cartões postais da Chapada dos Guimarães
Cachoeira Véu de Noiva é um dos principais cartões postais da Chapada dos Guimarães
Os mais preguiçosos vão gostar de saber que, por exemplo, o principal cartão-postal da região, a cachoeira Véu de Noiva, dona de uma queda d´água de mais de 80 metros de altura, está a apenas 550 metros da entrada do parque. No caminho, é comum avistar as araras vermelhas que escolhem os paredões da cachoeira para construir seus ninhos.

Outro passeio obrigatório que atrai dos preguiçosos aos aventureiros é o Circuito das Cachoeiras, que pode durar de cinco a seis horas e passa por seis cachoeiras, sendo que cinco delas são abertas ao banho, ao contrário do que acontece na Véu de Noiva. A caminhada exige o acompanhamento de guias credenciados e normalmente faz parte dos roteiros oferecidos pelas operadoras.

Wikicommons
Morro São Jerônimo é o ponto mais alto da Chapada dos Guimarães
Morro São Jerônimo é o ponto mais alto da Chapada dos Guimarães
Ponto mais alto da Chapada dos Guimarães, o Morro São Jerônimo também necessita da contratação de guias profissionais, porém, neste caso, um certo condicionamento físico é necessário aos turistas, uma vez que uma trilha de cerca de seis horas, com muitos trechos íngremes, precisa ser encarada. Do topo, é possível avistar até Cuiabá no horizonte.

Controlada pelo ICMBio, a trilha pode ser feita por apenas 36 visitantes ao dia, sendo recomendada antecedência para garantir uma vaga durante os finais de semana. No caminho, é possível visitar a Casa de Pedra, uma gruta de arenito que já serviu de cenário para filmagens de novelas e filmes brasileiros. Em seu interior, há vestígios de inscrições rupestres, algo que pode ser encontrado em várias partes das formações geológicas locais.

ONDE, QUANDO E COMO?
Bucólica, a cidade de Chapada dos Guimarães é a casa de cerca de 20 mil pessoas e oferece toda a infraestrutura turística para explorar o parque nacional e seus arredores. Há pousadas e áreas de camping, restaurantes, bares, pizzarias e muita música ao vivo aos finais de semana, quando a cidade é invadida pelos visitantes oriundos de Cuiabá. Entre as recomendações gastronômicas, o tradicional restaurante Samambaia é famoso por sua galinhada.

Reprodução/YouTube
Município de Chapada dos Guimarães, no Mato Grosso
Município de Chapada dos Guimarães, no Mato Grosso
Como o verão é a estação com mais chuvas no Brasil, as cachoeiras ficam mais cheias durante o período que vai de dezembro a março, e como boa parte das trilhas é de nível fácil a moderado, o aumento da precipitação não chega a ser um problema. No inverno, bastante seco, as altas temperaturas trazem à tona o risco de incêndios, comuns na região.

A partir da rodoviária de Cuiabá, capital do Estado, ônibus saem para o município de Chapada dos Guimarães a cada 90 minutos aos finais de semana. De segunda a sexta, a frequência diminui, mas ainda possibilita diversas opções a quem visa chegar ao destino.

Para ler a reportagem completa sobre a Chapada dos Guimarães, confira a edição desta semana (nº 1399) da revista PANROTAS, que viajou para conhecer todas as belezas do parque nacional. Esta é a terceira edição especial em comemoração aos 45 anos da empresa.

Leia a edição completa no link abaixo:




 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA