EVENTOS

Observação de aves é nicho em franco crescimento no Brasil


Juliana Monaco
Geancarlo de Lima Merighi (Fundtur-MS), Guto Carvalho (AvistarBrasil), Edson Moroni (biólogo) e Ney Gonçalves (Operadora Impacto)
Geancarlo de Lima Merighi (Fundtur-MS), Guto Carvalho (AvistarBrasil), Edson Moroni (biólogo) e Ney Gonçalves (Operadora Impacto)
O Seminário de Turismo Isto é Mato Grosso do Sul, que acontece até a próxima quinta-feira (21), começa apresentando a prática de “birdwatching” (observação de aves) e seus impactos para o Turismo no Brasil. O painel desta manhã contou com a participação do criador e organizador do Encontro Brasileiro de Observação de Aves (AvistarBrasil), Guto Carvalho; do biólogo Edson Moroni; do proprietário da Operadora Impacto, Ney Gonçalves; e do turismólogo Geancarlo de Lima Merighi, da Diretoria de Desenvolvimento do Turismo e Mercado Fundtur-MS.

Apenas em 2019, foram realizados aproximadamente 200 eventos de birdwatching no País. “Há quinze anos, quanto começamos a implementar a cultura do birdwatching no Brasil, existiam cerca de 500 praticantes. Hoje, são quase 100 mil”, afirma Carvalho. Esse crescimento, segundo ele, foi motivado pelo surgimento da câmera fotográfica, que criou dois perfis de birdwatchers: o observador clássico, que utiliza apenas binóculos, e o fotógrafo de pássaros.

Com crescimento de 12% ao ano, a prática de birdwatching tem ampla importância na geração de fluxo turístico para os municípios do Mato Grosso do Sul. “Aqui no Estado temos aproximadamente 30% da quantidade de aves catalogadas do Brasil, com mais de 400 espécies apenas em Campo Grande”, ressalta Merighi. Um destino bem-sucedido, por exemplo, é o Buraco das Araras (Bonito/MS), um produto formatado especificamente para a prática da atividade.

O organizador do Encontro Brasileiro de Observação de Aves destaca que Campo Grande virou a capital nacional de observação de aves em função dos observadores locais, mas a presença do turista é imprescindível para o setor. “Hoje, duas em cada três fotos de aves são feitas fora do município sede do fotógrafo, caindo no domínio do Turismo. Isso nos oferece uma análise de tendências do que será o Turismo no Brasil.”

“O Observatório do Turismo do MS tem monitorado o perfil e o roteiro desses viajantes para entender as ações que precisam ser implementadas. O que precisamos agora é de uma divulgação mais intensiva dessa prática na capital”, enfatiza Gonçalves.

WIKIAVES
O site de conteúdo interativo WikiAves busca apoiar e divulgar a atividade de observação de aves no Brasil por meio de registros fotográficos e sonoros. São mais de 32 mil associados, sendo a maior parte composta por homens entre 20 e 40 anos, com uma média de 200 fotos por observador cadastrado. Desde o seu lançamento, em 2008, o site já recebeu quase três milhões de fotos e sons de aves de diversas regiões brasileiras.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA