ENTRETENIMENTO

Test drive: como é cruzar a Golden Gate de bicicleta?

É impossível não associar São Francisco, na Califórnia, com à Golden Gate. Não é a toa que a atração turística, localizada no Golden Gate National Recreation Area, ficou em primeiro lugar em 2018 no número de visitantes entre todos os parques cadastrados no sistema nacional estadunidense, com 15,2 milhões de pessoas.

O local recuperou a posição do Blue Ridge Parkway (14,6 milhões), uma subcordilheira dos Montes Apalaches que fica no leste dos Estados Unidos, nos estados da Virgínia Ocidental e da Geórgia. Os dois parques dividem a primeira e a segunda colocação desde 1979, alternando entre si nas últimas quatro décadas.

Danilo Teixeira Alves
A Golden Gate é o principal atrativo turístico de San Francisco
A Golden Gate é o principal atrativo turístico de San Francisco

Para quem não sabe, a Golden Gate foi construída há mais de 80 anos com o objetivo de ligar San Francisco à Sausalito. Por sua importância (e pelos números) é uma visita obrigatória na sua viagem. Mas, além de poder chegar perto dela e registrar a ponte sob os mais diversos ângulos, o melhor é cruzá-la de bicicleta.

COMO É?

Ao todo, o trajeto tem aproximadamente 15 quilômetros (cada trecho) e pode ser feito, em média, em 90 minutos. Vai depender de quantas paradas você realizar no meio do caminho, a velocidade da sua pedalada e o tempo que você tem. Eu e o CEO da PANROTAS, José Guilherme Alcorta, tínhamos pouco. Nós conseguimos de última hora um ingresso para visitar Alcatraz. Nas nossas contas, tínhamos cerca de três horas para ir e voltar.

Quem nos ajudou com o aluguel e com todo o suporte de trajeto, dicas de onde comer, beber e até os melhores pontos para fotos foi a Blazing Saddles, que é dirigido pela brasileira Helena e o marido Jeff (leia mais sobre eles abaixo).

Há ciclofaixas na maior parte do trajeto, mas em algumas partes é necessário ir pela avenida ou ficar mais atento com as pessoas – principalmente durante o trajeto da ponte. Há algumas subidas mais difíceis, mas como a Blazing Saddles nos ajudou com duas bicicletas elétricas, essas subidas se tornaram bem mais suaves do que realmente são.

Danilo Teixeira Alves
Palace of Fine Arts, em San Francisco
Palace of Fine Arts, em San Francisco
O circuito é bem fácil. Saímos de Fisherman´s Wharf e seguimos pedalando pela orla em direção a ponte. Nossa primeira parada foi no Palace of Fine Arts. Para ir até lá é preciso sair um pouco da rota, mas a vista compensa. Depois, de volta e rumo à Sausalito paramos no mirante e na ponte.

A experiência de atravessar um dos principais destinos turísticos do mundo em cima de uma bike é muito gratificante. Da ponte, você tem uma vista panorâmica de toda a cidade.

Antes de chegar a Sausalito, há uma descida e as bicicletas dividem espaço com os veículos que transitam pela via. Não há o que temer, é só tomar cuidado e não abusar da velocidade.

Para voltar à San Francisco, existem duas linhas de ferry: a Blue & Gold Ferry, que vai até o píer 41, e o Golden Gate Ferry, que te leva ao Ferry Building. O último é mais central e foi onde desembarcamos. Sausalito é pequena e com algumas galerias, restaurantes e lojas.

A Blazing Saddle te ajuda com os tíquetes de volta. É recomendado a compra antecipada para garantir o lugar (gratuito) da sua bicicleta. É preciso também chegar com meia hora de antecedência, já que as saídas costumam encher 100%.

Durante a viagem de ferry, você tem uma vista panorâmica da cidade e de Alcatraz.

O QUE LEVAR
: roupa e sapatos confortáveis (e um bom casaco), protetor solar, bolsa ou mochila leve, boné, máquina ou celular para as maravilhosas vistas.

SOBRE A BLAZING SADDLE

Com mais de 30 anos de experiência, a Blazing Saddle é referência no aluguel de bicicletas – e excelente atendimento. Os proprietários Jeff e a brasileira Helena Sears são 100% dedicados ao dia a dia da empresa, que já conta com oito lojas e milhares de bikes dos mais variados tamanhos e modelos.

“Eu cheguei nos Estados Unidos em 1982 pra estudar Inglês e fazer faculdade. Conheci o Jeff e três meses depois nos casamos. Começamos nosso negócio casualmente, já que nós sempre tivemos paixão por biciclatas. Abrimos nossa primeira loja no Fisherman’s Wharf e desenvolvemos o passeio de atravessar a Golden Gate Bridge e voltar de barco”, explicou Helena. Hoje, o passeio de bike na Golden Gate Bridge é um dos mais populares no destino norte-americano.

Danilo Teixeira Alves
Os fundadores da Blazing Saddles, Jeff e Helena Sears
Os fundadores da Blazing Saddles, Jeff e Helena Sears

Por ser brasileira e por atender bastante brasileiros em suas lojas, Helena explica que costuma contratar jovens do Brasil que vão estudar em San Francisco. Um exemplo disto é o gerente geral da Blazing Saddle, Bruno Wanderley.

A época de maior movimento, segundo o casal, é de junho a outubro. Mas isto não significa que em outras épocas as lojas estejam vazias. “San Francisco é muito procurado por turistas do mundo todo e nosso know how nos deixa em maior evidência”, afirma Helena.

Mesmo sendo tradicional, o tour de bike ainda é pouco consumido por brasileiros. “São poucos os brasileiros que optam por alugar uma bicicleta e desbravar a cidade. Desde 2014 o número de turistas do Brasil vem aumentando. Temos trabalhado para mudar essa realidade”, afirma a empresária.

Neste sentido, Helena e Jeff têm apostado em parcerias com operadoras de Turismo. Helena revelou que, em sua última visita ao Brasil, visitou algumas empresas, entre elas a CVC. “É a maior da região e acho que podemos agregar muito aos produtos que ela oferece”, destacou.

CITYPASS
O San Francisco City Pass é um cartão que combina até cinco atrações turísticas de San Francisco. Nele, você tem um passe de transporte (bondinho) de sete dias ilimitado por um preço super promocional. Por ser uma cidade grande, vale muito o passe de transporte, pois você acaba economizando bastante. A Blazing Saddle, por exemplo, tem desconto especial para clientes que apresentarem o City Pass.

Veja mais fotos no álbum abaixo:


 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA