Festas juninas movimentam R$ 641 milhões no Estado de São Paulo

|


Pixabay/Livoca
Eventos em 316 municípios de regiões turísticas do Estado de SP devem reunir 3,7 milhões de pessoas
Eventos em 316 municípios de regiões turísticas do Estado de SP devem reunir 3,7 milhões de pessoas
O período de festa junina mobilizou municípios por todo o Estado de São Paulo, que promoveram celebrações, movimentando a economia local e atraindo um grande número de turistas. Depois de dois anos de pandemia, a realização das festas juninas voltou com intensidade neste ano. Mais de 80% dos municípios em regiões turísticas realizaram festas juninas neste ano, com duração média de quatro dias e público médio de 12 mil pessoas, segundo dados do Governo do Estado.

Em 2022, 316 municípios localizados em regiões turísticas do Estado de São Paulo realizaram festas juninas, com um total de 3,7 milhões de pessoas e geração de 15.950 empregos.

As festas juninas também promovem um grande impacto econômico, com a movimentação de R$ 641 milhões entre os meses de maio a julho, segundo projeção do Centro de Inteligência da Economia do Turismo (CIET), ligado à Secretaria de Turismo e Viagens do Estado de São Paulo. São R$ 396,1 milhões de impacto direto e R$ 244,9 milhões de efeitos indiretos.

Grande parte dessa movimentação financeira vem dos gastos do público durante as festas, estimado em R$ 361,1 milhões. Embora os turistas representem 12% do público das festas juninas, eles são responsáveis por 37% dos gastos (R$ 133,2 milhões), enquanto os moradores locais respondem por 63% do consumo (R$ 227,9 milhões).

“Os turistas são essenciais para o sucesso das festas juninas e promovem o que chamamos de economia do visitante. Além dos gastos nas festas propriamente ditas, movimentam também outros setores da economia local. São inúmeros ganhos para a cidade”, afirma o secretário de Turismo e Viagens do Estado de SP, Vinicius Lummertz.

O Estado de São Paulo conta com festas juninas de todos os tamanhos. Em Florínea, cidade com 2.676 habitantes, o público estimado foi de 7 mil pessoas nos três dias de festa. Esse número chega a 80 mil pessoas nos dez dias de festa em Mauá ou até 100 mil pessoas nos 15 dias de duração da festa em Praia Grande.

Comparação com 2019

Os dados do CIET mostram que as festas juninas de 2022 no Estado de São Paulo já praticamente recuperaram todo o fluxo de visitantes e movimentação financeira em comparação a 2019, período pré-pandemia.

Em relação à quantidade de cidades que realizam a festa neste ano, o número é igual ao de 2019. No Estado, a média histórica é de que 80% dos municípios em regiões turísticas do Estado realizem algum tipo de festividade junina no período. Nenhuma cidade do Estado alegou problemas relacionados à pandemia para a não realização da festa em 2022.

O público médio estimado em 2022 é de 12 mil pessoas por evento. Em 2019, este público era de 14 mil. Sendo assim, há 83% do movimento de pessoas que havia em 2019.

Em 2019, ainda que houvesse 16% a mais de público nas festas, a movimentação financeira total foi somente 3% maior que no momento atual. O valor para 2019 era de R$ 660 milhões, contra R$ 641 milhões de 2022.

Em relação à geração de empregos, o número também permanece praticamente o mesmo, pois para a organização de uma festa para 12 mil é praticamente a mesma para 14 mil. Desta forma, a mesma quantidade de pessoas empregadas na época é a mesma para agora. A estimativa para esse ano é que as festas gerem 15.950 empregos.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA