PARQUES TEMÁTICOS

Wet'n Wild completa 21 anos e prepara nova atração para 2019


Jhonatan Soares
O Wet'n Wild está entre os parques mais bem avaliados da América do Sul, segundo o TripAdvisor
O Wet'n Wild está entre os parques mais bem avaliados da América do Sul, segundo o TripAdvisor
Neste mês, o Wet’n Wild completou 21 anos e continua entre os principais centros de lazer do Brasil.
Durante essa trajetória, o parque aquático lançou pacotes promocionais, promoveu diversos eventos em seu calendário e inaugurou atrações inéditas, como o Meteor – tobogã com cápsula mais alto do mundo – e o espaço para eventos sociais e corporativos.

De acordo com o presidente do Wet’n Wild, Alain Baldacci, o segrego para fazer com que o parque se mantenha entre os favoritos é inovar e sempre proporcionar novas experiências. “Investimos em novas ferramentas, atrações diferenciadas, na capacitação da equipe, em parcerias, na melhoria contínua do relacionamento com nossos clientes, além de dedicar parte do orçamento para manter nossa estrutura entre as mais modernas e diferenciadas, buscando atender um público que é ávido por novidades”, explica.

Este ano, a grande novidade foi a nova loja virtual, uma plataforma moderna que trouxe o modelo de precificação dinâmica, com valores dos ingressos que variam conforme diferentes fatores: antecedência, demanda, disponibilidade, alta ou baixa temporada, previsão do tempo etc. A companhia também realizou uma série de reformas e melhorias para proporcionar mais conforto e comodidade aos visitantes, como a instalação da esteira para boias no Vortex.

NOVA ATRAÇÃO
Segundo Baldacci, uma nova atração deverá ser anunciada nos próximos dias, com lançamento previsto ainda para 2019. "Ainda não podemos dar detalhes, mas será um complemento de tudo o que já temos e vai trazer para o parque um público que até então não temos", comentou. Ainda de acordo com o empresário, em mais de duas décadas, o Wet´n Wild mais dobrou seu número de atrações, passando de 13, em 1998, para 26, atualmente.

"Quem está no nosso segmento, tem que entender que é como você andar de bicicleta: se parar de pedalar, ela cai. No mundo dos parques, se você parar de investir, o seu número de visitantes vai cair até você desaparecer do mercado", opinou. Mesmo sem revelar números exatos, Baldacci disse que o parque deverá fechar 2019 com dois dígitos de crescimento e um resultado acima do esperado.


 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA