Mercado latino é aposta a longo prazo, diz VP da Universal

|

Depois do famtour Universal and U, realizado na semana passada, em Orlando, com a participação de 120 agentes de viagens do Brasil, México, Argentina e Chile, a Universal Studios, através do seu VP de Marketing e Vendas para América Latina, Marcos Barros, deixou clara a importância de apostar a longo prazo no mercado latino americano para o sucesso de seus parques e resorts.

Alexandre Campbell
O VP de Marketing e Vendas para América Latina, Marcos Barros: foco no sucesso de parques e resorts
O VP de Marketing e Vendas para América Latina, Marcos Barros: foco no sucesso de parques e resorts
Segundo Barros, a instabilidade dos países latinos faz com que o foco mude conforme a necessidade.

“Quando um mercado não está bem, focamos em outro até que aquele melhore. Mas a estratégia como um todo não muda. Ela é fundamentalmente baseada em promover e vender o produto Universal Orlando Resort e também Hollywood como parte do Universal Parques & Resorts antes da viagem do passageiro. Se em um ano a Argentina não vai bem por razões que fogem do nosso controle, o foco vai para o México, assim como pode acontecer com o Brasil, se houver algum problema investimos mais na Colômbia por exemplo. Mas devo ressaltar que nada mudou em termos de volume, que segue muito grande. A América Latina é mais do que importante para nós e o Brasil está no top 3 mundial de visitação”, diz.

Alexandre Campbell
Agentes de viagens se encontram em Orlando para uma imersão nos parques da Universal Studios
Agentes de viagens se encontram em Orlando para uma imersão nos parques da Universal Studios
Mesmo com a alta do dólar não existe a possibilidade de queda na procura do destino, já que viajar para Orlando, na opinião de Marcos Barros, é “aspiracional”. A Universal promete reagir a cada revés econômico do mercado. A adição do Endless Summer Resorts é um exemplo, foi uma aposta que está dando muito certo e rendendo frutos.

O Universal’s Endeless Summer Resort Surfside Inn é o primeiro hotel econômico e se encontra funcionando em capacidade máxima, garante o seu gerente geral, John Power.

De acordo com ele, é um hotel competitivo, que atrai jovens casais, famílias e apresenta suítes familiares com preços que não se encontra na concorrência. Em fase final de acabamento, o segundo hotel da categoria, situado em frente, se chamará Dockside Inn e será inaugurado em março de 2020. A previsão é que, até o final do próximo ano, a capacidade total de quartos cresça dos 7,2 mil atuais até 9 mil.

A oferta do terceiro parque grátis com vendas válidas até 12 de fevereiro e viagens até 20 de maio de 2020 é outra estratégia de vendas que já está na pasta dos agentes de viagens de todas as regiões.

Universal Epic Universe
Em 2023 será inaugurado o quarto parque da rede, o Universal Epic Universe em Orlando. Marcos Barros garante que este parque vai elevar a experiência de parque temático para um nível superior, com imersão em vários temas e histórias preferidas do público baseado em pesquisas e feedback dos visitantes. Ainda não foi divulgado detalhes do parque, mas talvez a Nintendo, que será adicionada ao parque do Japão em Osaka, esteja programada para ele também.

“Ainda tem muita coisa para acontecer, muita novidade até 2023, por isso não se deve falar muito sobre o parque nesse momento. Quando chegar a hora educaremos o agente de viagens e daremos todas as ferramentas que ele precisa para vender mais e melhor”, completa.

Alexandre Campbell
Brasil está entre os três países com mais visitantes à Universal
Brasil está entre os três países com mais visitantes à Universal
Atualmente, a Universal colhe os frutos de sua mais nova atração, a Hagrid’s Magical Creatures Motorbike Adventure, a montanha russa do Harry Porter que é uma imersão no “story telling”, diferente das outras que exploram a velocidade. Devido ao imenso sucesso que vem obtendo, tem fechado todos os dias mais cedo para os engenheiros bolarem um aumento da sua capacidade.

Na primavera de 2020 será inaugurado o The Bourne Stuntacular, que será uma nova forma de entretenimento em parques misturando teatro e cinema com efeitos especiais. Baseado nos filmes que Matt Damon atua como o personagem Jason Bourne, essa atração será a promessa do ano que vem.

O Jurassic Park, que recentemente foi revitalizado em Hollywood, está em obras no parque de Orlando e também será atualizado. Ainda não foram divulgados os detalhes que estão por vir, mas a promessa é capitalizar em cima do sucesso do Jurassic Worlds, a nova fase da franquia da Universal Pictures nos cinemas.

Eventos têm sido muito bem aceitos nos parques da Universal. O Halloween Horror Nights há anos vem crescendo e atualmente atingiu o seu máximo de vendas para a América Latina, um recorde apesar da crise na visão de Marcos Barros. “O Halloween Horror Nights, que completará 30 anos em 2020, tem muito a ver com a nossa identidade como marca, é uma coisa que a concorrência não poderia fazer, não faz e tem medo de fazer. É para poucos, muito forte e intenso, é da Universal”, diz ele orgulhoso.

Florida Cup
E, para finalizar,vale lembrar que de 13 a 20 de janeiro acontecerá mais uma Florida Cup, um torneio de futebol disputado por quatro equipes, sendo duas do Brasil. Palmeiras, Corinthians, Atlético Nacional de Medelin (Colômbia) e NYC Soccer Club (EUA) se enfrentarão em um campeonato que evoluiu e deixou de ser somente um torneio de futebol para se tornar uma plataforma de entretenimento.

Duas equipes da Alemanha também disputarão um jogo amistoso e Ivete Sangalo dará um show pela segunda vez devido ao grande sucesso do ano passado. A novidade é que será armada uma pequena arena de futebol dentro do parque para que jogadores famosos e antigos dos dois times brasileiros disputem uma partida e interajam com o público.

Pacotes para a Florida Cup já estão à venda. Os principais patrocinadores são a Universal Orlando Resorts e a Adidas, com apoios de operadores do Brasil e do exterior. “A Florida Cup é um evento que nos dá muita visibilidade e, na minha opinião, o futebol, assim como as atrações dos nossos parques, une as famílias. Não há diferença entre pais e filhos nesses momentos, são todos iguais quando estão torcendo ou quando estão descendo uma de nossas montanhas russas. É essa a conexão que tentamos fazer, das famílias na música, no futebol e nos parques temáticos”, completa Barros.

*Por Alexandre Campbell, especialmente para o Portal PANROTAS
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA