Com nova rotina, parques SeaWorld em Orlando preservam experiência

|

Divulgação
Parques da SeaWorld, em Orlando, voltaram em junho
Parques da SeaWorld, em Orlando, voltaram em junho
Reabertos em junho
, os parques da SeaWorld, em Orlando, na Flórida, seguem oferecendo a mesma experiência embora com dinâmicas e rotinas diferentes. É o que garante a diretora global de Vendas dos parques, Lisha Duarte. De acordo com a executiva, o visual (com todos usando máscara ou as sinalizações de protocolos) e a maneira de aproveitar as atrações (com o distanciamento social) realmente foram alteradas, a essência e as sensações, contudo, seguem sendo as mesmas.

De acordo com Lisha, que participou hoje (13) da live Check Point, no Portal PANROTAS, todo o trabalho de retomada foi feito com base na segurança e na manutenção das experiências específicas do complexo. Mesmo assim, algumas alterações forma inevitáveis. Ela citou como exemplo a atividade de alimentar as girafas no Busch Gardens Tampa, que não é mais possível no momento. O tour existe, mas sem essa proximidade na hora de alimentar os animais. "Mesmo assim procuramos construir uma experiência parecida com a original", afirma.

Outra mudança que muda o jeito de aproveitar o parque é que agora há áreas com sentido único de circulação, como nos tours de bastidores ou atrações. Para garantir que a prática funciona, os parques têm colaboradores que controlam a movimentação dos visitantes e, de maneira descontraída, alertam para o novo jeito de percorrer os parques. "Isso, inclusive, é bem controlado e acompanhado de perto, assim como é feito com o distanciamento", reforça a gestora.

Nos banheiros esse controle também é feito de perto. O fluxo de entrada e saída de visitantes é controlado por funcionários e as superfícies são higienizadas com maior frequência.

Marluce Balbino
Lisha Duarte, diretora global de Vendas dos parques Sea World
Lisha Duarte, diretora global de Vendas dos parques Sea World
Já nos brinquedos e atrações a alteração mais significativa está na distância necessária e no protocolo mais rígido de limpeza. "Nas montanhas russas, por exemplo, intercalamos as fileiras ocupadas a cada viagem e há higienização a dos lugares a cada volta", informa ela, que garante ainda que os colaboradores foram treinados para passar as recomendações de forma leve e divertida, afinal, todos estão de férias.

INGRESSOS
A diretora também relatou a situação atual da comercialização de ingressos. Segundo ela, as entradas compradas para este ano e que não foram utilizadas tiveram sua data de expiração modificada para dezembro de 2021.

O sistema de reservas segue ativo mas as ações promocionais são, nesse momento direcionadas ao público estadunidense. "Mas, quando os voos começarem a voltar, teremos mais informações sobre promoções para outros mercados", antecipa. Quem quiser comprar ingressos para 2020 precisa fazer reserva, mas para 2021, quando as restrições de viagens devem estar menores, a compra é livre.

ASSISTA AO VÍDEO COMPLETO



REDUÇÃO DE CAPACIDADE
Lisha explica também que atualmente os parques funcionam atendendo 50% de sua capacidade, conforme acordo feito com as autoridades locais. A capacidade de momento é a que está prevista na primeira fase de liberação de atrações na região. "Passando para outra fase, a segunda, devemos poder receber 75% da lotação possível", lembra.

Lisha Duarte ressaltou a importância dos agentes de viagens e operadores neste momento, que precisam de informações confiáveis para passar a seus clientes e por isso o time da Imaginadora, representante do SeaWorld no Brasil, tem mantido contato constante com o trade, com treinamentos, reuniões virtuais e ferramentas com esse conteúdo novo. Ela se disse muito otimista com os próximos meses, por tudo o que os parques já fizeram, pela demanda reprimida que existe e pelo fato de a experiência ter sido mantida, mesmo com os protocolos de segurança.

A live Check Poit do dia trouxe informações atualizadas sobre os parques de Orlando, nos Estados Unidos. Juliana Pisani, diretora de Marketing da Universal Orlando para a América Latina, Fabiana Tourinho, diretora da Kaluah Tours, e Claudia Menezes, vice-presidente da GoPegasus, também participaram da live, mediada pelo editor-chefe da PANROTAS, Artur Luiz Andrade.

O Check Point, projeto da PANROTAS com a Imaginadora, e apoio da R1.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA