MERCADO

Para ABR, alta do dólar favorece resorts brasileiros


Marluce Balbino
Alberto Cestrone, presidente da ABR, no estande PANROTAS
Alberto Cestrone, presidente da ABR, no estande PANROTAS
Com o dólar a níveis jamais registrados em comparação com o real, a Associação Brasileira de Resorts (ABR) está em um momento propício para atrair estrangeiros a seus empreendimentos associados, além dos próprios brasileiros que viajariam ao Exterior, mas seguram o orçamento por conta do câmbio. O presidente da entidade, Alberto Cestrone, reforça esse e outros itens nesta 46ª Abav Expo e 50º Encontro Comercial Braztoa, em São Paulo.

"Em 2009, os estrangeiros representavam 40% do share de hóspedes entre os associados, mas hoje esse índice está em 9%. Por isso estamos retomando presença no mercado internacional e, com o real mais fraco em relação a dólar e euro, com certeza alavancaremos esse receptivo", afirma Cestrone.

No primeiro semestre deste ano, a ocupação média dos associados foi de 63,8%, quase 15% a mais do que o mesmo período em 2017. O revpar também teve aumento considerável, segundo Cestrone, que também destaca a alta empregabilidade gerada por esse meio de hospedagem. "Os resorts estão muito relacionados a serviço, e empregam muita gente das comunidades. Isso porque esse índice ainda não é reflexo na mudança das leis, como a do trabalho intermitente, que deve impactar ainda mais", concluiu.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA