IHG registra queda de 45% na receita do primeiro semestre

|

O IHG acaba de divulgar os resultados financeiros intercalares do primeiro semestre e segundo trimestre de 2020, terminados em 30 de junho. A receita do grupo na primeira metade do ano registrou uma queda de 45%, em comparação com o mesmo período do ano anterior, totalizando em US$ 1,25 bilhão – versus US$ 2,28 bilhões em 2019.

Divulgação
IHG registra queda de 45% na receita do primeiro semestre
IHG registra queda de 45% na receita do primeiro semestre
O prejuízo operacional, diante da crise causada pelo novo coronavírus, foi de US$ 233 milhões, frente ao lucro operacional de US$ 442 milhões no primeiro semestre de 2019, representando um declínio de 153%.

A receita por quarto disponível global no primeiro semestre sofreu uma queda de 52%. Já no segundo trimestre, a diminuição foi de 75%. Analisada por regiões, nas Américas, a RevPAR caiu 71%, na Europa, Oriente Médio e África (Emea) diminuiu 88% e, na Grande China, registrou uma queda de 59%.

No primeiro semestre, a empresa hoteleira contabilizou 12 mil adições de quartos e 12 mil remoções, incluindo 2 mil referentes a um portfólio de hotéis previamente sinalizado na Alemanha. Ao todo, a rede agora tem 883 mil quartos, com mais de 5,9 mil hotéis.
Divulgação / IHG
Keith Barr, do IHG
Keith Barr, do IHG

O fluxo de caixa livre do segundo trimestre foi considerado amplamente neutro, resultante de uma forte gestão de caixa. A liquidez total disponível registrada no final de junho e julho foi de US$ 2 bilhões.

“O impacto da covid-19 em nossos negócios foi substancial. A RevPAR global diminuiu 52% no primeiro semestre e 75% no segundo trimestre, quando a ocupação em hotéis comparáveis caiu para 25%. Apesar deste ambiente desafiador, obtivemos um lucro operacional de US$ 74 milhões nos segmentos reportáveis. Pequenas, mas constantes melhorias na ocupação durante o segundo trimestre continuaram em julho, com uma queda esperada do RevPAR de 58% e um aumento na ocupação de cerca 45%”, diz o CEO do IHG, Keith Barr.

Entre as ações para reduzir custos, o grupo planeja fazer cerca de metade dos US$ 150 milhões de economia que alcançará neste ano de forma sustentável em 2021, juntamente com o investimento contínuo em iniciativas de crescimento. No entanto, com visibilidade limitada do ritmo e escala da recuperação do mercado, a rede não está propondo um dividendo intermediário.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA