Marriott registra R$ 20 milhões de lucro líquido no 3T20

|


Divulgação
Para o ano de 2020, a expectativa é de um crescimento líquido de quartos de 2,5% a 3%
Para o ano de 2020, a expectativa é de um crescimento líquido de quartos de 2,5% a 3%
A Marriott International acaba de divulgar os resultados financeiros do terceiro trimestre de 2020. A receita operacional ajustada foi de US$ 147 milhões, em compação à receita de US$ 734 milhões registrada no mesmo período de 2019; e o lucro líquido ajustado foi de US$ 20 mihões no período, em comparação com os US$ 488 milhões registrados no terceiro trimestre do ano passado. Já o EBITDA ajustado foi de US$ 372 milhões, comparado aos US$ 901 milhões registrados no mesmo período de 2019. Os resultados apresentados pela rede incluíram as despesas relacionadas à pandemia de covid-19, totalizadas em US$ 32 milhões.

De julho a setembro, a rede de hotéis adicionou 127 novas propriedades ao seu portfólio (19 mil quartos), incluindo 1,4 mil quartos convertidos de marcas concorrentes e aproximadamente 7,6 mil quartos em mercados internacionais. No final do trimestre, o pipeline de desenvolvimento mundial da Marriott totalizou 2.899 propriedades com mais de 496 mil quartos, incluindo 1.201 propriedades com aproximadamente 228 mil quartos em construção e 160 hotéis com 25 mil quartos aprovados para desenvolvimento, mas ainda sem contratos assinados.

"Embora a covid-19 ainda esteja impactando significativamente nossos negócios, os resultados do terceiro trimestre mostraram uma tendência de melhora contínua na demanda em todo o mundo. O RevPAR diminuiu 66% no período, uma melhora de quase 19 pontos percentuais em relação ao segundo semestre. Na América do Norte, a ocupação do terceiro trimestre alcançou 37%, quase o dobro da ocupação no segundo trimestre. Além disso, adicionamos mais de 19 mil quartos ao nosso sistema, quase 70% a mais do que foram adicionados no segundo trimestre. Globalmente, 94% dos nossos hotéis estão abertos e acolhendo os hóspedes", disse o presidente e CEO da Marriott International, Arne Sorenson.

IMPACTO FINANCEIRO DA PANDEMIA

Devido às incertezas associadas à covid-19, a Marriott não consegue estimar o impacto financeiro da crise, que depende da gravidade e duração da pandemia. No final do terceiro trimestre, a dívida líquida da rede totalizou US$ 10,7 bilhões e a liquidez líquida, US$ 5,1 bilhões, com US$ 1,5 bilhão em caixa. Para o ano de 2020, a expectativa é de um crescimento líquido de quartos de 2,5% a 3%, incluindo rescisões de 1,5% a 2%.

"Embora o momento ainda seja imprevisível, estamos satisfeitos com o progresso que fizemos na reestruturação e reposicionamento da empresa para administrar com sucesso esses tempos desafiadores. Financeiramente, fortalecemos nossa posição de liquidedz, realinhamos nossa estrutura de custos e minimizamos nosso consumo de caixa. Operacionalmente, elevamos nossos padrões de saúde e limpeza para estabelecer confiança e credibilidade com os viajantes e aumentar a segurança e o bem-estar de nossos associados e hóspedes. Ainda temos um longo caminho pela frente, mas essa crise chegará ao fim e acredito que as viagens vão se recuperar rapidamente", ressaltou Sorenson.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA