Hotelaria de Salvador teve o pior janeiro dos últimos 10 anos

|


Divulgação
Salvador tem tradicionalmente em janeiro um de seus meses de maior movimentação turística
Salvador tem tradicionalmente em janeiro um de seus meses de maior movimentação turística
Período de alta movimentação turística, o mês de janeiro foi vivido de maneira diferente nos hotéis de Salvador. Com o aumento de casos de covid-19, os meios de hospedagem da capital baiana tiveram o pior início de ano na última década. Dados da ABIH-BA (Associação Brasileira da Indústria de Hotéis da Bahia) mostram que a média da taxa de ocupação dos empreendimentos da cidade ficou em 54% (no ano passado o índice era de 73%). A mesma análise mostra que o RevPar (indicador ponderado entre a taxa de ocupação e a diária média) desses hotéis ficou em R$ 201,69 (em 2020, no mesmo mês, esse número era de R$ 256,60).

De acordo com o o presidente da associação hoteleira, Luciano Lopes, a reincidência dos casos de covid-19 abalou mais uma vez os planos de recuperação e boas apostas para a economia baiana. "Janeiro é um mês que sempre representou o pico de ocupação da hotelaria, trazendo grande e diversificada demanda para os hotéis de Salvador. Este ano, lamentavelmente, está sendo diferente”, diz.

Lopes acrescenta mais uma dificuldade de momento para o setor: a queda no fluxo e voos domésticos e internacionais. O presidente cita dados da Anac (Agência Nacional da Aviação Civil) que dão conta que o número de passageiros no aeroporto de Salvador em 2020 (3,6 milhões) representou a metade dos viajantes em 2019 (7,3 milhões).

ALTA SÓ NA DIÁRIA MÉDIA
Apesar dos números gerais em queda, as tarifas cobradas pelos hotéis subiram. A explicação para isso é o aumento na oferta de empreendimentos alto padrão e crescimento leve na demanda de clientes que vêm de cidades próximas.

Segundo informou a ABIH, a diária média na cidade subiu de R$ 349, em janeiro do ano passado, para R$ 371 no último mês.

"Embora ainda estejamos vivendo tempos difíceis, há o sentimento de que o período mais difícil foi superado. A chegada da vacina nos traz esperança e nos dá força para continuar lutando pelo setor que é tão importante para a nossa Bahia. Seguimos na busca constante para a recuperação da hotelaria, manutenção dos empregos e sustentabilidade dos negócios”, pontua Lopes.

Segundo informa a prefeitura de Salvador, a pandemia já alcançou 133 mil pessoas na cidade; 3,4 mil não resistiram.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA