Demissões na hotelaria ultrapassam 10 mil em um ano

|


Unsplash/Ashwini Chaudnary
A área de governança hoteleira foi a que mais demitiu desde o ano passado
A área de governança hoteleira foi a que mais demitiu desde o ano passado
O número de trabalhadores que tiram da hotelaria seus rendimentos mensais caiu de maneira considerável no ultimo ano. Fortemente impactado pelos efeitos da pandemia de covid-19, o setor perdeu 10.209 postos de trabalho de 1 de março de 2020 até a data idêntica em 2021. O índice consta numa pesquisa divulgada esta semana pela Capih (Comissão de Administração de Pessoas da Indústria Hoteleira), ponderando o impacto da crise para o segmento de hospedagem.

De acordo com o relatório, em um ano, o número de trabalhadores que dava expediente em hotéis pelo Brasil caiu 31,72%, de pouco mais de 32 mil para 21 mil. As demissões atingiram com maior intensidade as funções que exigem menor qualificação dentro dos hotéis.

A área de governança, que reúne as funções ligadas a limpeza e arrumação de apartamentos, foi desde o primeiro levantamento a mais afetada. Alimentos & Bebidas vem em seguida. Juntos, esses dois departamentos representam 75% dos desligamentos.

Outro destaque do levantamento é identificar que a maior parte das demissões aconteceu depois do término da possibilidade de utilização das medidas do governo para mitigar o desemprego. Mais de 60% das empresas que participaram da pesquisa afirmam que as demissões foram concretizadas quando já não havia mais chance de utilizar as MPs para diminuição de jornada de trabalho e redução salarial.

Entre as empresas que demitiram antes, quando os auxílios governamentais ainda podiam ser solicitados, 40% migrou das medidas do governo para medidas de negociação sindical.

A pesquisa ouviu 89 empresas do setor recolhendo dados de empreendimentos independentes, administrados por redes nacionais e internacionais e resorts. Os dados foram coletados com entrevistas entre os dias 9 e 15 deste mês.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA