Ocupação hoteleira nos EUA atinge nível mais alto em um ano

|

A STR acaba de divulgar que a ocupação semanal de hotéis nos Estados Unidos atingiu seu nível mais alto em um ano – quando foi decretada a pandemia de covid-19 –, de acordo com os dados mais recentes considerados até 13 de março.

Unsplash
Ocupação hoteleira nos Estados Unidos atinge nível mais alto em um ano
Ocupação hoteleira nos Estados Unidos atinge nível mais alto em um ano
De 7 a 13 de março, a ocupação hoteleira registrou 52,1%, uma queda de 1,4% em comparação com a mesma semana de 2020. Já a taxa média diária foi de US$ 102,62, uma diminuição de 14,5% em relação ao mesmo período no ano passado, e a receita por quarto disponível (RevPAR) atingiu US$ 53,45 – uma retração de 15,5%.

De acordo com a STR, as mudanças percentuais ano a ano são agora mais favoráveis, pois as comparações mudaram para semanas afetadas pela pandemia a partir de 2020. Quando indexados contra os níveis de 2019, os EUA recuperaram entre 70% e 75% da ocupação nas últimas semanas.

A Flórida, auxiliada pelas férias de primavera e pela Semana da Bicicleta, foi a que apresentou os melhores níveis em relação a ganhos de ocupação semanais. Entre todos os mercados analisados pela companhia, Daytona Beach, Gatlinburg, Myrtle Beach, Santo António, Greensboro e a região de Panhandle mostraram crescimento de dois dígitos em relação à semana anterior, o que reflete uma nova reabertura em todo o país.

Todos, exceto sete estados, viram ganhos semana após semana e seis registraram aumento de ocupação em mais de cinco pontos percentuais. Entre os 25 principais mercados, Tampa obteve o nível de ocupação mais alto, de 72,7%. Já os 25 níveis de ocupação mais baixos foram notados em Boston (33,6%) e Minneapolis (33,9%).

Os dados agregados dos 25 principais destinos mostraram ainda uma ocupação ligeiramente menor (49,8%), mas taxa média diária mais alta, de US$ 109,06, do que todos os outros. Os principais mercados continuam a mostrar as lacunas mais consideráveis na ocupação atual versus a de 2019.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA