InFohb indica retomada em abril, mas queda na comparação com 2019

|

Boletim mensal produzido pelo Fohb (Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil), o InFohb mostra os índices dos meios de hospedagem nacionais ao longo do mês de abril e deixa claros dois sinais: que já há indícios de retomada no segmento e que esses indicadores ainda são tímidos diante da situação antes do início da pandemia.

Unsplash/Matt Aylward
Os números da hotelaria em abril mostram retomada em relação a 2020 mas índices ainda baixos na comparação com 2019
Os números da hotelaria em abril mostram retomada em relação a 2020 mas índices ainda baixos na comparação com 2019
Para tal conclusão, o estudo comparou o mês de abril deste ano com período idêntico em 2020, quando a crise gerada pelo coronavírus ainda estava no início, e em 2019, época em que ainda não se imaginava o cenário de pandemia. Nas duas análises, foram observados 490 hotéis de redes associadas, o que significa 121 mil quartos nas cinco regiões do País.

Na primeira comparação, que analisa os meses de abril deste ano e de 2020, os resultados consolidados mostram que houve acréscimo de 328,7% na taxa de ocupação; e 290% na diária média. No entanto houve decréscimo de 9% na receita de apartamentos disponíveis (Revpar).

Já na segunda análise, que confronta os dados atuais com os vistos em 2019, os resultados consolidados mostram queda de 63% na taxa de ocupação; 22,4% na diária média e 71,3% no RevPar.

2021: ENTRE JANEIRO E ABRIL
Analisando os dados acumulados de janeiro a abril de 2021, em comparação com 2020, houve queda de 29,1% na taxa de ocupação, 17,9% na diária média e 41,8% no Revpar.

Quanto à análise por região, a taxa de ocupação registrou decréscimo em todas as localidades: variando entre 6,9% no Centro-Oeste e 34,2% no Sudeste. A diária média, também apontou percentuais negativos sendo 8,8% no Centro-Oeste; 14,1% no Nordeste; 9,7% no Norte; 21,5% no Sudeste e 8,8% no Sul.

Para o indicador de Revpar, variações negativas em todas as regiões: 15% no Centro-Oeste; 32,4% no Nordeste; 20,5% no Norte; 48,3% no Sudeste e 37,4% no Sul.

Na análise por categoria hoteleira, apenas decréscimos foram registrados na taxa de ocupação: 31,3% no econômico; 25,7% no midscale; e 31% no upscale. Na diária média decréscimo em todas as categorias: econômico 13,8%; midscale 18,2% e upscale 18,4%. No Revpar percentuais negativos de 40,8% no econômico; 39,2% no midscale; e 43,7% no upscale.

Esses números destelhados esta na tabela abaixo:

Divulgação
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA