Habilidades profissionais na hotelaria podem durar menos de 5 anos

|


Avinash Chandarana, do MCI Group
Avinash Chandarana, do MCI Group
Atenção você que trabalha com atendimento e experiências do consumidor. Suas habilidades, que já precisavam estar sempre sendo atualizadas, têm prazo de validade de menos de cinco anos. Por isso, para se manter atualizado e dentro do mercado de trabalho, antenado com as melhores e mais atuais práticas, é preciso estar sempre aprendendo, reaprendendo e até desaprendendo, em um processo constante que envolve upskilling (aprendizados dentro de sua função atual) e reskilling (quando mudamos de setor e função completamente, como ocorreu na pandemia).

Essas conclusões são de Avinash Chandarana, do MCI Group, que, em meia hora, chacoalhou as cabeças e ideias dos participantes do curso A Hotelaria e suas Transformações, iniciativa da Academia de Viagens Corporativas, de Patrícia Thomas e Viviânne Martins, com a Elo. No sexto módulo do curso, que é apresentado todas as quintas-feiras, para profissionais de hotelaria convidados, também participaram Amy Yang Secches, da Oracle, e Mauricio Reis, da Accor, que focaram na transformação digital das equipes de vendas e operações na hotelaria, criando verdadeiros times phygital (afinal, por trás do digital sempre bate um coração – humano).

CARREIRAS
Em um ambiente volátil, incerto, complexo e ambíguo (tradução para a sigla que nos aflige, VUCA), e ainda com os desafios da pandemia, investir na carreira também está mais complicado e desafiador.

Em sua apresentação no curso da Academia de Viagens e Elo, Chandarana contou sua própria experiência profissional, com passagens por vários países e com trajetória como em uma parede de escalada e não como uma escada tradicional, só com movimentos verticais.

O profissional de Turismo e Hotelaria e os de todos os segmentos enfrentam um cenário de grandes desafios e sua carreira é impactada diretamente por eles. O executivo listou alguns deles: a quarta revolução industrial (a da transformação digital), a economia global paralisada, o futuro do trabalho e dos profissionais do mercado, a erosão da confiança, as mudanças nos hábitos e tendências do consumidor, questões geopolíticas, privacidade de dados e segurança e as mudanças climáticas e crescente preocupação com a sustentabilidade.

O palestrante também abordou as tendências do Turismo, como a resiliência dos viajantes mais jovens, a preferência pelas viagens domésticas e a busca por autenticidade e sustentabilidade, mas foi nas dicas para as carreiras dos profissionais em que ele surpreendeu e brilhou.

Avinash Chandarana: intuição, criatividade e inteligência emocional são habilidades humanas que farão a diferença e se complementarão às habilidades e ferramentas tecnológicas
Avinash Chandarana: intuição, criatividade e inteligência emocional são habilidades humanas que farão a diferença e se complementarão às habilidades e ferramentas tecnológicas
O FUTURO PROFISSIONAL DE HOTELARIA

Obviamente as habilidades ligadas à tecnologia precisam estar presentes na formação de qualquer profissional de Hotelaria e Eventos, especialmente os que lidam com atendimento e a experiência do cliente. Um profissional Hi-Tech será muito demandado. Mas o lado humano, ao contrário do que muitos pensam, tem peso igual e o Hi-Touch também será valorizado, na busca do entendimento e análise das relações humanas, na inteligência emocional, no human-to-human no centro da experiência. O resultado do profissional do futuro é o que combina o melhor do Hi-Tech com o Hi-Touch.

Segundo ele, é preciso estar aberto a aprender, reaprender e até desaprender, pois de todo o conhecimento que está disponível ou que ainda se apresentará, a maior parte não sabemos que não sabemos. Ou seja, temos de estar preparados para o desconhecido que se juntará ao que sabemos (nossa expertise) e ao que sabemos que não sabemos (como, por exemplo, quando tivemos de aprender a fazer eventos virtuais). Aliás, sobre o futuro dos eventos, não restam dúvidas: os eventos híbridos vieram para ficar, reunindo o melhor do presencial e do virtual.

A mudança na forma de trabalhar também vai impactar o profissional do futuro, com boa parte aderindo ao nomadismo digital ou ao anywhere office. “O trabalho é algo que você faz e não um lugar onde você vai”, afirmou, ressaltando algo que aprendemos durante a pandemia.

EVENTOS
Para o profissional de eventos, ele fez um gráfico exclusivo, para exemplificar como são necessárias múltiplas e novas habilidades. Confira abaixo.
Habilidades digitais, vendas e marketing, Planejamento, habilidades interpessoais, monetização e saúde e segurança são algumas das habilidades para um profissional de eventos
Habilidades digitais, vendas e marketing, Planejamento, habilidades interpessoais, monetização e saúde e segurança são algumas das habilidades para um profissional de eventos

CINCO ANOS
A má notícia é que, em atendimento e experiência do cliente, todas as habilidades terão, em média, menos de cinco anos de vida útil. Muitas perderão a relevância muito rapidamente e o profissional precisará estar sempre investindo no upskilling, no aprender e reaprender. E as empresas precisar criar esse ambiente de aprendizado contínuo, fornecendo oportunidades, estrutura e recursos para que seus profissionais não fiquem para trás.

E então? Você está pronto para essa nova trajetória profissional?

Estar pronto também foi a questão levantada por Amy Yang Secches, da Oracle, ao falar da transformação das equipes de vendas em phygital. É preciso estar preparado, saber onde quer chegar e haver uma integração (digital) com todas as aéreas da empresa (e não apenas transformar vendas em digital).

Objetividade, compartilhamento das informações disponíveis do cliente com toda a empresa (o cliente não é do vendedor e sim da empresa), valorização do tempo do cliente e uso das ferramentas a favor do vendedor e não como uma etapa burocrática do trabalho foram algumas dicas da executiva, ela mesma ex-hoteleira e que abraçou a tecnologia em uma virada na carreira.

E-BOOK
O módulo 6 do curso A Hotelaria e Suas Transformações foi apresentado por Patrícia Thomas, da Academia de Viagens Corporativas, e Pedro Nanni, da Elo, que trouxe uma boa notícia ao mercado: o conteúdo dos 8 módulos do curso estará disponível, sem setembro, em formato de e-book, para que os participantes possam compartilhar com suas equipes. "O conteúdo está tão rico e útil que vamos fazer esse e-book, a pedido dos participantes, que querem compartilhar com seus times vários insights apresentados por nossos palestrantes", disse Patricia Thomas.

Patricia Thomas e Pedro Nanni fazem perguntas a Amy Yang Secches e Mauricio Reis
Patricia Thomas e Pedro Nanni fazem perguntas a Amy Yang Secches e Mauricio Reis


 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA