Viajante está mais flexível em relação a datas e localização, diz Airbnb

|

A pandemia de covid-19 causou mudanças no comportamento dos turistas, que surgiram com novas preferências e prioridades, agora com a retomada das viagens. Mais flexíveis em relação à escolha do destino e ao período de viagem, considerando trabalho e estudo remotos, eles procuram diferentes experiências para viajar e aproveitar para trabalhar no mesmo local.

Airbnb/Juliana Kneipp
Felipe Marcondes, do Airbnb
Felipe Marcondes, do Airbnb
Diante disso, o Airbnb vem acompanhando as transformações dos viajantes, adaptando produtos e analisando tendências. Segundo o head de Supply da empresa na América do Sul, Felipe Marcondes, em entrevista ao Portal PANROTAS, as pessoas são as mesmas, o que mudou – e muito – foram os hábitos.

“Vimos que a facilidade maior de se trabalhar remotamente, com o avanço da tecnologia e flexibilização das empresas, favoreceu um novo estilo de viagens. As pessoas passavam o ano todo juntando dinheiro para uma viagem grande para Paris ou para Disney, por exemplo, mas, hoje, têm viajado com uma frequência maior, para lugares mais próximos, com a família, com o pet, conciliando viagem e trabalho. Estando em um lugar legal de natureza, mas cumprindo suas responsabilidades profissionais”, conta.

A plataforma de viagens vem percebendo que os brasileiros têm se preocupado em conhecer as belezas naturais do País; que quem fazia viagens domésticas mais longas, passou a pegar estrada e viajar de carro para ter uma experiência com a família em cidades de até 50 mil habitantes.

Para isso, os viajantes buscam por acomodações mais diferenciadas e completas, com itens que são essenciais para o dia a dia de quem passará um período hospedado. Cozinha equipada, estacionamento (gratuito) com vagas, local pet-friendly, ar condicionado (para refrescar e aquecer), wi-fi de qualidade são alguns dos pontos que se tornaram ainda mais essenciais para os hóspedes.

“Os consumidores não estão buscando tanto o tipo de acomodação em si, mas, sim, os serviços que elas oferecem. Casas e apartamentos acabam sendo os mais tradicionais, mas existe a possibilidade muito grande para os hoteleiros absorverem alguns ajustes para atender esse viajante. Colocar uma coifa, uma mesa de trabalho mais potente... isso ajuda os hotéis a se adequar a essa nova realidade e capturar essa tendência de demanda”, afirma Marcondes.

FLEXIBILIDADE
O Airbnb também notou que os hóspedes estão muito mais adaptáveis em relação a datas e localização. Com isso, durante a pandemia, lançou ferramentas de flexibilidade e registrou que mais de 40% das buscas feitas dentro da plataforma são com dia da viagem e local flexíveis.

“Sei que quero ir para uma praia, mas será que qual praia é relevante? Se eu for na semana que vem ou na próxima, faz tanta diferença? Nos dias de hoje, esses pontos acabam sendo mais secundários em relação às necessidades e amenidades que preciso durante o tempo que estarei na acomodação. Nesta filtragem, é possível selecionar tudo que preciso para a hospedagem e as opções disponíveis com essas características aparecerão, independentemente do destino”, explica.

OPORTUNIDADE
“Temos passado muito a mensagem de oportunidade. Essas novas características do viajante estão abrindo para o setor como um todo. Estamos fechando parcerias com entidades e prefeituras para trazer informação. Dentro da própria plataforma conseguimos puxar todos os dados e tendências em termos reais, não são pesquisas de opinião. Dados agregados que acabam sendo de valor para a indústria em geral. É muito importante compartilhar esse conhecimento”, finaliza o head de Supply do Airbnb na América do Sul.

 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA