CONSOLIDADORAS

Com Iata em São Paulo, BRT oficializa sua entrada no Estado


Emerson Souza
Vanderlei Folgueral, gerente de Filial SP, Eraldo Palmerini, presidente, e Marco Aurélio di Ruzze, vice-presidente do Grupo BRT
Vanderlei Folgueral, gerente de Filial SP, Eraldo Palmerini, presidente, e Marco Aurélio di Ruzze, vice-presidente do Grupo BRT
Agora é mais do que oficial. A BRT já vinha atuando em São Paulo há mais de oito meses, mas acaba de sair o Iata da consolidadora paranaense em território paulista, e por esse e outros motivos, a empresa de Eraldo Palmerini reuniu fornecedores e agentes na capital do Estado para comemorar.

Tratam-se dos primeiros passos da BRT Consolidadora no principal mercado brasileiro. Além do Iata, que traz conforto para as companhias aéreas, a empresa aposta em sua plataforma para atrair e fidelizar o agente paulista. "Em nossa plataforma oferecemos muito mais do que bilhetes aéreos. Com o mesmo login, o agente de viagens tem acesso a um portfólio de aproximadamente quatro mil hotéis, locação de veículos, seguros, receptivos e muitos outros itens auxiliares, como chips internacionais para celular", afirma o presidente da BRT, Eraldo Palmerini. "Não temos intermédio de brokers. Todas as negociações são próprias da BRT. Foi assim que conquistamos nosso público no Sul, e é assim que conquistaremos em São Paulo."

O vice-presidente do grupo, Marco Aurélio di Ruzze, diz que o papel principal da BRT é fazer com que as agências de viagens continuem sendo relevantes para o cliente final. Essa continuará sendo a linha de atuação também em São Paulo. "Nosso objetivo é fazer o agente competir. Mais do que tecnologia, crédito e atendimento, a BRT entrega valor agregado", afirma o VP.

Ainda de acordo com di Ruzze, "o mercado empurrou a BRT a São Paulo". "Embora tivéssemos abrangência nacional, não éramos vistos como grande player pelo fato de não estarmos aqui. Agora, com escritório na capital paulista, chegamos para mostrar que somos uma empresa nacional, afinal o fornecedor pede que estejamos aqui, pede que aumentemos nossa escala de distribuição trabalhando aqui", afirma, mas garantindo que não será daquelas empresas que chegam com cifras e investimentos exorbitantes. "Cautela, paciência, inteligência. Estamos chegando em São Paulo aos poucos. É assim que ganhamos robustez em toda nossa história, sem loucura, entendo as nuances de cada mercado."

Embora ciente deste ritmo, o gerente de Filial em São Paulo, Vanderlei Folgueral, se demonstra surpreso pela aceitação da BRT no mercado paulista. Em sua visão, a consolidadora faz o movimento contrário do que a maioria dos concorrentes, que inicia seus trabalho no Sudeste e expande para o restante do País. "Quando fui chamado, estava apreensivo com o que pensariam da BRT. Preocupações como nível de tecnologia, condições com as aéreas, a visão de que são provincianos, estrutura, recursos... estava receoso de como o mercado nos receberia", admite o gerente. "Entretanto, este início está superando todas as expectativas. Cerca de 200 agências já compram conosco, já sabem o que é BRT, e certamente este número vai aumentando. Do mesmo jeito que me surpreendi, o mercado paulista vai se surpreender e confiar em uma empresa de mais de 40 anos."

PRESENÇA NACIONAL

A BRT atende mais de 2,8 mil agências brasileiras. O próximo passo, segundo Marco di Ruzze, é trazer a operadora para São Paulo. Accor, Malai Manso, Gray Line, Sol Express, Brocker, Aviva, Tivoli, Tower Travel, GJP, Nannai, Iberostar e Travel Ace estão entre os parceiros que apoiaram o evento.

Com mais de dez escritórios e dezenas de executivos em home office, a BRT atua em Curitiba, Bauru (SP), Belém, Brasília, Chapecó (SC), Criciúma (SC), Florianópolis, Fortaleza, Foz do Iguaçu (PR), Goiânia, João Pessoa, Londrina (PR), Maceió, Maringá (PR), Natal, Palmas, Porto Alegre, Porto Velho, Recife, Ribeirão Preto (SP), Salvador, São José do Rio Preto (SP), São Luis, Vale do Itajaí (SC) e Vitória.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA