Anvisa registrou 798 casos de covid em cruzeiros em apenas 9 dias

|


Agência Brasil/Marcelo Camargo
A Anvisa divulgou hoje os números que a levaram a pedir a suspensão provisória da temporada de cruzeiros no Brasil. Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, desde o início da temporada, no dia 1/11, até esta segunda-feira (3/1), foram confirmados 829 casos de covid-19 entre tripulantes e passageiros das cinco embarcações que operam no Brasil: sendo que 60% dos casos positivos (502) foram entre tripulantes e 798 em apenas nove dias (de 26/12 a 3/1), o que representou um salto exponencial dos infectados.

"Por se tratar de viajantes com maior período de permanência nas embarcações, a ocorrência de infecção entre a tripulação agrega maior grau de risco à condição sanitária desses navios", avalia a Anvisa. "A recomendação da agência teve como fundamento o aumento vertiginoso dos casos de covid-19 a bordo das embarcações nos últimos dias, que indica uma mudança radical do cenário epidemiológico. Esse aumento pode ser confirmado pelos dados disponíveis, que dão conta da detecção de 31 casos de covid-19 nos 55 dias iniciais da temporada (de 1/11 a 25/12), com uma explosão acentuada a partir do dia 26/12, tendo sido registrados 798 casos em apenas nove dias (de 26/12 a 3/1), o que representa um aumento de 25 vezes nesse período", continua a agência em nota publicada em seu site.

Essa mudança drástica provavelmente é decorrente do surgimento da variante Ômicron, que é mais transmissível (apesar de possivelmente menos letal) e segundo a Anvisa "requer nova avaliação do cenário da pandemia de covid-19, nos termos da Portaria GM/MS 2.928/2021".

A rápida detecção dos casos de covid-19, assume a Anvisa, foi possível devido à execução do protocolo sanitário definido com o setor, antes da temporada.

"Em reunião ocorrida nesta segunda-feira (3/1) com representantes do Ministério da Saúde e da Anvisa, os estados e municípios foram unânimes em reiterar a posição da agência pela suspensão provisória da temporada de navios de cruzeiro no Brasil, até que se obtenham novos dados para melhor avaliação de eventual cenário de retomada", diz outro trecho da nota da Anvisa.

Os cruzeiros foram suspensos, voluntariamente pela empresas marítimas, até 21/1, devendo retornar, com novos protocolos, em 22 de janeiro. O presidente da Clia Brasil, Marco Ferraz, inicia esta semana uma rodada de reuniões com diversos órgãos envolvidos, além de Estados e municípios.

O Portal PANROTAS também apurou que desses 829 casos, não houve internações ou casos graves, somente casos leves ou assintomáticos, o que pode confirmar a desconfiança da comunidade internacional de que a ômicron é mais transmissível, porém menos letal.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA