Mesmo com investimento menor, Espanha atrai mais brasileiros

|

Emerson Souza
Diretor do Turismo da Espanha, Juan Morales, o embaixador Fernando García-Casas, e o cônsul Angel Vazquez
Diretor do Turismo da Espanha, Juan Morales, o embaixador Fernando García-Casas, e o cônsul Angel Vazquez
Nem sempre um investimento maior em promoção representa aumento efetivo no número de visitantes a um destino. Melhorar resultados com menos investimentos, então, é uma façanha que a Espanha se orgulha em ter alcançado nas últimas temporadas. Após recorde de brasileiros em visita ao país ibérico em 2017, a Espanha se encaminha para fechar 2018 ultrapassando as marcas do ano passado.

LEIA TAMBÉM: Com 45% mais brasileiros, Madri volta a apostar no luxo

Cerca de 468 mil brasileiros visitaram a Espanha ao longo de 2017. Em 20 anos de análise dos dados, o número, 25,76% superior ao alcançado em 2016, foi recorde histórico. Nesta temporada a tendência de crescimento se mantém. Entre janeiro e agosto, o país europeu deu boas-vindas a 371 mil turistas brasileiros – o que, neste recorte temporal, representa crescimento de 16%.

“Os primeiros meses desse ano já foram muito melhores”, conta o diretor do Turismo da Espanha no Brasil, Juan Antonio Ruiz Morales, que pontua, no entanto, que houve uma piora nos resultados em agosto. “É um bom dado, ainda mais levando em conta o aumento no gasto diário”, completou. No segundo trimestre, o brasileiro gastou, em média, 335 euros por dia – 90 euros a mais do que o calculado no mesmo período de 2017.

O dado é ainda mais relevante quando se leva em consideração a diminuição no investimento em promoção feito no mercado brasileiro. Segundo Morales, o orçamento tem decaído e chegou a US$ 100 mil em 2018. O diretor fala que “a estratégia não se resume às coisas que são feitas, mas também aos gastos que deixamos de ter”. Ao focar em ações que geram mais resultados, ele defende um investimento “mais inteligente”.

Essa atuação tem um enfoque no turista cosmopolita, faz o adendo Juan Antonio. Com um perfil de visitante que consome mais cultura, gastronomia e compras, a Espanha faz um esforço para atrair o que chama de Turismo sustentável. “Nós estamos em busca de qualidade do turista, não de quantidade”, reforça.

Relações Brasil-Espanha

Presente à conversa, o embaixador da Espanha no Brasil, Fernando García-Casas, celebra a boa relação entre os dois países. “Como disse outro dia meu colega na Espanha [o embaixador Antonio Simões], estamos em matrimônio”, brincou. “Estamos unidos pela imigração com mais força do que nunca, são 100 mil brasileiros vivendo na Espanha. Tudo isso mostra uma relação muito forte.”

Ao falar do Brasil como destino, García-Casas apostou que “o Brasil pode vir a ser uma potência no Turismo”. Para tal, o embaixador defende o investimento em treinamento de operadores turísticos para que falem espanhol: “o básico, não precisa ler Dom Quixote”.

Outro ponto decisivo para que o País se torne um grande destino, na visão do embaixador, é o investimento em infra-estrutura e segurança. “Muitos gostam do acolhimento dos brasileiros. Mas esses dois são os pontos a se desenvolver”, finalizou.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA