Sea World confirma altas no trimestre, e lucro sobe 74,5% | Destinos | PANROTAS
DESTINOS

Sea World confirma altas no trimestre, e lucro sobe 74,5%

Divulgação/ Sea World Orlando
Infinity Falls, a inauguração mais recente do Sea World Orlando
Infinity Falls, a inauguração mais recente do Sea World Orlando

Resultados preliminares já apontavam que o terceiro trimestre do Sea World Parks & Entertainment seria positivo, dando continuação ao crescimento acentuado do grupo no ano. Nesta semana a rede de parques atestou tal otimismo ao divulgar os resultados financeiros finais para o período, com números positivos.

Além de confirmar o aumento de 700 mil pessoas em visitação - foram 8,3 milhões, alta de 9,7% contra o mesmo período de 2017 -, o Sea World revelou um lucro líquido de US$ 96 milhões no trimestre, uma uma melhora de US$ 41 milhões contra os US$ 55 milhões do terceiro trimestre do ano passado, o que constitui alta de 74,5%.

Já a receita total aumentou em US$ 45,5 milhões, ou 10,4%, para US$ 483,2 milhões em relação ao mesmo período de 2017.

Os resultados englobam números das unidades do Sea World em Orlando, San Antonio e San Diego, e ainda os parques temáticos Busch Gardens, na Flórida, e Sesame Palace, na Filadélfia.

"Temos o prazer de anunciar mais um trimestre com fortes resultados financeiros", comentou o diretor executivo interino do Sea World, John Reilly. "Nós continuamos a ver um aumento de dois dígitos na receita de vendas da temporada neste trimestre, reforçando ainda mais a eficácia de nossas estratégias. Nosso aumento na receita total per capita foi impulsionado por um aumento de 7,4% nos gastos per capita no parque, que foi atribuído à nossa oferta melhorada de produtos culinários e mercadorias e outras ofertas no parque, incluindo a Quick Queue", comentou o executivo.

NOVE MESES DE NÚMEROS POSITIVOS

No acumulado do ano o grupo segue bem. O número de visitantes aumentou em 1,4 milhão, ou 8,7%, para 18 milhões nos primeiros nove meses de 2017 - foram 16,6 milhões no mesmo período do ano passado.

A receita total aumentou US$ 94,4 milhões, ou 9,5%, para US$ 1,09 bilhão no acumulado entre janeiro e setembro.

O lucro líquido trouxe crescimento expressivo: foram US$ 55,8 milhões nos nove meses, comparado a um prejuízo de US$ 181,9 milhões que o grupo teve no mesmo período de 2017.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA