Bruno Reis detalha estratégia de retomada do Turismo no RN

|

Além de um detalhado e gradual Plano de Retomada do Turismo, que teve a coordenação do governo estadual e participação do Sistema S e de entidades de classe do setor, o Rio Grande do Norte agrega outros dividendos em meio à pandemia. Um deles foi a obtenção de um selo de biossegurança internacional conferido pelo Conselho Mundial de Viagens e Turismo - WTTC. Outra ação pontual foi o desenvolvimento de um selo próprio, o RN Mais Protegido. Some-se às certificações a queda no número de casos e de óbitos por covid-19 nas duas últimas semanas. O Turismo potiguar vive momentos de otimismo.

Marluce Balbino
Bruno Reis, presidente da Empresa Potiguar de Promoção Turística
Bruno Reis, presidente da Empresa Potiguar de Promoção Turística
O presidente da Empresa Potiguar de Promoção Turística (Emprotur), Bruno Reis, está à frente da (re)condução do Turismo potiguar há um ano. Quase a metade deste tempo atuou com braçadas no mar revolto da pandemia. Turismólogo com passagens pelo Ministério do Turismo e Embratur, além do RioGaleão, ele se norteou em ferramentas como inteligência de mercado, pesquisas e marketing digital, além de capacitações de agentes de viagens, para o projeto da retomada. Nesta entrevista, ele detalha suas metodologias, estratégias e desafios.

PORTAL PANROTAS - Quais os meios ou ferramentas de inteligência de mercado que a Emprotur utiliza em seus projetos atualmente?
BRUNO REIS - Desde o início da implantação das medidas de isolamento social nos empenhamos em realizar pesquisas para entender o que o público profissional estava sentindo e pensando. Nossa equipe de inteligência realizou pesquisas em âmbito estadual para entender a realidade e os anseios do trade do Estado. Além disso, atores importantes do Turismo nacional, internacional e Mice também participaram para entendermos esse momento. Esses dados colaboraram para traçar o Plano de Retomada e para nortear as nossas ações. Estamos em contato diário com parceiros estratégicos do trade, atentos às tendências de mercado e trabalhando diariamente com estratégias direcionadas para mercados pontuais. O leitor já pode ter acesso à pesquisa “O impacto da pandemia ao trade turístico do RN”. Nos próximos dias, todas as pesquisas realizadas pela Emprotur estarão disponíveis no site institucional.

PP - Quais destinos do RN deverão receber turistas e visitantes de um dia em breve?
REIS - Baseados nas pesquisas que realizamos e no que tem acontecido mundialmente, acreditamos que as visitas serão para destinos que reforcem o segmento de sol e praia, ecoturismo e Turismo de aventura. Temos muitos destinos que se encaixam nesse contexto em nossos 400 quilômetros de praia e também no interior do RN. Então acreditamos que destinos como Natal, Pipa, São Miguel do Gostoso e as Serras do Agreste potiguar estarão em alta, mas também haverá um grande interesse por roteiros que incluam contato com a cultura e natureza, como é o caso do Geoparque Seridó.

PP - Como o RN conseguiu obter o selo de segurança do Conselho Mundial de Viagens e Turismo - WTTC?
REIS - Ser o primeiro Estado do Brasil a obter o Selo de Turismo Seguro Internacional traduz o trabalho que vem sendo realizado de forma profissional e participativa pelas equipes da Setur RN e da Emprotur, com a participação ativa do Sistema Fecomércio, por meio do Senac, Sebrae, da Secretaria Estadual de Saúde do RN, todas as entidades do trade turístico potiguar e o conselho dos cinco polos turísticos do estado.

MAIS DIGITAL
PP - Quais os projetos de marketing digital previstos pela Emprotur atualmente?
REIS - Estamos presentes em diversas plataformas digitais voltadas tanto para o público-final quanto para profissionais, com site institucional. Lançamos o site promocional do destino e também do Centro de Convenções de Natal. Aprimoramos nossas estratégias nas mídias digitais. Além dos canais tradicionais, estamos também com Linkedin, Spotify e Youtube. É muito importante manter o nosso público informado. Para isso enviamos newsletter com notícias sobre o RN semanalmente para agentes de viagens e operadores de turismo de todo o Brasil.

CAPACITAÇÃO
PP - Quantos agentes de viagens já foram capacitados nacionalmente em parceria com as Abavs?
REIS - Já realizamos, em parceria com as Abavs regionais, capacitações com aproximadamente 300 agentes de viagens da Paraíba, Sergipe, Maranhão, Bahia, Pernambuco, Alagoas, Santa Catarina e Distrito Federal. Nos próximos dias realizaremos capacitações também no Ceará, Paraná e Minas Gerais. Também realizamos capacitações com importantes operadoras de viagens em mercados estratégicos, o que irá colaborar para o posicionamento do destino RN na retomada.

PP - E quantos destinos do RN já foram tema de capacitação?
REIS - Temos 74 municípios no Estado que integram o Mapa do Turismo e cada um deles tem suas peculiaridades e potencialidades turísticas. Estamos trabalhando a segmentação da atividade na promoção e apoio à comercialização dos polos turísticos do Rio Grande do Norte. Por exemplo, os municípios que integram o Geoparque Seridó, ricos em experiências de turismo de aventura, de contemplação, de gastronomia, já foram tema de inúmeras capacitações, assim como as Serras do Agreste Potiguar. Pipa, Galinhos, Martins, Portalegre, Maxaranguape, Canguaretama, São Miguel do Gostoso, Baía Formosa, Natal e Mossoró também foram contemplados em nossas capacitações.

RETOMADA
PP - O Protocolo de Retomada do Turismo do RN está adiantado em relação a outros Estados?
REIS - Tendo em vista os cenários atuais, muitas das ações já estão sendo implementadas. Ao longo de 18 meses o Plano de Retomada do Turismo promoverá ações relacionadas a protocolos de saúde, capacitação, comunicação com a sociedade, promoção do destino, alinhamento com os governos e dentro dele também está previsto o lançamento do nosso selo Turismo + Protegido. No documento estão detalhados os Protocolos de Saúde a serem considerados por empresas e profissionais dos segmentos de Meios de Hospedagem, Alimentos e Bebidas, Serviços Receptivos, Espaços e Equipamentos de Lazer e Visitação. Além disso, o protocolo está unificado no RN para que o turista tenha uma experiência segura no destino e que também possamos cuidar dos moradores locais. O protocolos podem ser acessado no site: www.turismoprotegido.rn.gov.br.

PP - O turismo regional não paga a conta... mas é mesmo a bola da vez?
REIS - Sem dúvida alguma o turismo regional é a bola da vez e temos ótimas perspectivas. Todas as nossas pesquisas internas - algo pioneiro na gestão estadual, importante frisar - apontam para esse caminho. O turista começará o processo de retomada de viagens a lazer optando por viagens de curtas distâncias. Ou seja: é o momento ideal para promover os atrativos e equipamentos turísticos do Estado e uma oportunidade de intensificar a interiorização da atividade turística, uma vez que existirá o aumento da possibilidade do fluxo de turistas dentro do RN. Além, claro, de nosso trabalho também alcançar e, dessa forma, atrair turistas dos estados vizinhos, como também, em um momento posterior, turistas de mercados emissores como Sudeste, Sul e Centro-Oeste, que são extremamente importantes.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA