SPTuris assina parcerias com FecomercioSP e Setur-SP

|


Reprodução/SPTuris/Jose Cordeiro
Luiz Alvaro Salles Aguiar de Menezes, presidente da SPTuris
Luiz Alvaro Salles Aguiar de Menezes, presidente da SPTuris
Neste momento de retomada das atividades, a São Paulo Turismo (SPTuris) e a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) assinaram, no fim de maio, um termo de cooperação que vai auxiliar no desenvolvimento da atividade turística e na elaboração de números e indicadores de relevância e de credibilidade para o setor na cidade de São Paulo.

De acordo com o presidente da SPTuris, Luiz Alvaro Salles Aguiar de Menezes, a iniciativa contribuirá para o fortalecimento do Turismo na cidade. "O intercâmbio facilita a análise de dados e o planejamento de novas ações tanto pelo setor público quanto pelo privado. As informações e números são muito importantes para o momento de retomada do Turismo e dos eventos”, disse.

Como resultado da parceria assinada, o Conselho de Turismo da FecomercioSP e a SPTuris lançaram o Índice Mensal de Atividade do Turismo (IMAT-SP), um novo indicador do setor, específico da cidade de São Paulo, que acompanhará o desempenho do Turismo na capital paulista. Será feita análise macro com cinco variáveis:

  1. Estoque de empregos diretos do Turismo;
  2. Faturamento do setor do Turismo na cidade de São Paulo;
  3. Movimentação dos terminais rodoviários de São Paulo;
  4. Movimentação dos aeroportos de São Paulo (exceto Viracopos);
  5. Taxa de ocupação da rede hoteleira de São Paulo.

DADOS MOSTRAM TENDÊNCIAS E RECUPERAÇÃO LENTA
No início de 2020, o IMAT apresentou o patamar de 89,9 em fevereiro - o índice tem como base 100, usado como referência de comparação em janeiro de 2020. Com o início da pandemia, em março caiu para 65,2 e despencou para 27,2 em abril, a pontuação mais baixa registrada.
Divulgação/SPTuris
Depois da queda brusca, ao longo do ano passado, o Turismo paulistano apresentou lenta recuperação, alcançando o melhor momento em dezembro de 2020, quando chegou ao patamar de 58,9 pelo IMAT. Entretanto, voltou a cair novamente na virada do ano com o surgimento da "segunda onda" de covid-19 no Brasil, e chegou a 38,9 em abril de 2021. Com a reabertura gradual das atividades econômicas, os dados nos próximos meses poderão ser mais positivos e indicar a retomada lenta do setor, embora o dado de maio possa ser mais baixo que o de abril, refletindo o prolongamento da fase de transição.

"O desenvolvimento deste índice é mais um resultado do esforço conjunto de diferentes atores interessados na plena recuperação do Turismo, produzindo informações que subsidiem análises e reflexões para o desenho das estratégias mais adequadas à cidade de São Paulo", ressalta a presidente do Conselho de Turismo da FecomercioSP, Mariana Aldrigui.

PARCERIA ENTRE ÓRGÃOS PÚBLICOS
Outra novidade de apoio mútuo é a parceria entre a Secretaria de Turismo do Estado e a SPTuris, que fortalece a posição do setor como estratégico da economia e contribui para a tomada de decisões. Assinado no dia 12 de maio, o convênio deve promover a cooperação técnica de informações sobre fluxos turísticos entre o Centro de Inteligência da Economia do Turismo (CIET), ligado à Setur, e o Observatório do Turismo da SPTuris, formando uma rede para compartilhar dados e pesquisas, com foco principalmente na capital e sua relação como indutora para outras regiões do estado.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA