Foz do Iguaçu (PR) quer ser o hub do Cone Sul

|

PANROTAS / Filip Calixto
O secretário de Turismo e Projetos Estratégicos de Foz do Iguaçu, Paulo Angeli
O secretário de Turismo e Projetos Estratégicos de Foz do Iguaçu, Paulo Angeli
O secretário de Turismo e Projetos Estratégicos de Foz do Iguaçu, Paulo Angeli, está na WTM Latin America, em São Paulo, divulgando os projetos do destino, que quer se transformar em hub do Cone Sul. Para isso, a CCR, nova concessionária do aeroporto, e o governo irão atrás de fortalecer a malha aérea da região.

A Latam anunciou mais dez voos para o destino, incluindo do Rio de Janeiro. “Também o voo Lima-Foz está de volta, pois estava suspenso na pandemia, o que permite conexões de quem vem dos Estados Unidos”, explica o secretário.

Angeli também comemora o novo momento da concessão do Parque Nacional de Iguaçu, que permitirá a criação de novos produtos e até de mais opções de hospedagem no parque (leia aqui a entrevista com Pablo Morbis, do Grupo Cataratas).

No final de 2021 e no verão, segundo Paulo Angeli, o movimento de turistas a Foz foi muito bom, com várias datas acima do volume pré-pandemia.

Ele destacou ainda os investimentos da iniciativa privada em novas atrações, como a roda gigante e o aquário (este previsto para 2023), e ainda os projetos do governo, como os R$ 500 milhões para a perimetral norte da cidade e a construção da segunda ponte entre o Brasil e o Paraguai. “Somos um grande hub logístico e vamos pular de 200 mil caminhões/ano para 600 mil/ano”, garante.

Ainda segundo o secretário, o Museu Asas de um Sonho, que pertenceu à Tam, será instalado provisoriamente no centro de convenções da cidade e depois ganhará uma sede próximo à entrada do Parque de Iguaçu.

De acordo com ele, o centro de convenções tem baixa ocupação, pois a maioria dos eventos ocorre em hotéis e resorts como o Mabu, Bourbon, Rafain e Carimã.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA