Incentivo a parques temáticos gera investimentos de R$ 42 milhões

|

Emerson Souza
Ministro do Turismo, Vinicius Lummertz, durante  Industry Showcase & Tabletop Networking, no Wet 'n Wild
Ministro do Turismo, Vinicius Lummertz, durante Industry Showcase & Tabletop Networking, no Wet 'n Wild
Os esforços já surtiram efeito. A resolução da Câmara de Comércio Exterior de fevereiro deste ano que isentou o pagamento de tributos em território nacional para importação de equipamentos voltados a parques temáticos pelo período de oito meses já tem resultados promissores dois meses antes de seu final.

Foram sete equipamentos importados de países estrangeiros, um investimento total de R$ 42 milhões e uma geração de quatro mil empregos, revelou ao Portal PANROTAS o ministro do Turismo, Vinícius Lummertz, um dos apoiadores e responsáveis nos bastidores pelo projeto. A informação foi concedida o Industry Showcase & Tabletop Networking, evento que acontece no Wet 'n Wild hoje e amanhã (7).

"Eram investimentos represados pelas taxas impeditivas do País. É só você criar um bom ambiente para os negócios, fazer justiça com os equipamentos de parques temáticos ao torná-los bens de capital ao invés de bens de consumo e assim reduzir as taxas e impostos, que os investimentos virão, e com eles empregos e maior atração de turistas", defendeu Vinicius Lummertz, categorizando a atual burocracia do Brasil como "auto-punitiva", já que impediu a iniciativa privada de atuar por tanto tempo nos parques nacionais.

As empresas que mais aproveitaram a janela de tempo sem impostos foram o Wet n' Wild, em São Paulo, o Beach Park, em Aquiraz (CE) (cada um deles importou dois brinquedos neste período), e ainda o Unipraias, parque em Balneário Camboriú (SC) que também adquiriu dois equipamentos no período.

O sétimo deles teve valor de investimento, data de lançamento e especificações reveladas à reportagem: trata-se da maior roda gigante da América do Sul, que será instalada em frente ao Santuário Nacional de Aparecida (SP). Com 88 metros de altura e 54 cabines para oito pessoas cada, o equipamento, que saiu a um custo de aproximadamente US$ 4 milhões, já embarcou da China para o Brasil, e deve ser instalado em novembro deste ano.

REDUÇÃO PERMANENTE?
Emerson Souza
Alain Baldacci, presidente do Sindepat, revelou que projeto que isenta impostos para equipamentos de parques temáticos no Mercosul pode ser votado já em outubro
Alain Baldacci, presidente do Sindepat, revelou que projeto que isenta impostos para equipamentos de parques temáticos no Mercosul pode ser votado já em outubro
Todo o setor dos parques temáticos recebeu uma boa notícia do presidente do Sistema Integrado de Parques e Atrações Turísticas (Sindepat), Alain Baldacci, responsável pelo evento no parque aquático paulista.

Segundo o executivo, uma reunião do Comitê Técnico Um (CT1), formada por membros dos quatro países do Mercosul e marcada para novembro, debaterá sobre a instauração de uma mesma regulação de isenção de impostos para equipamentos voltados a parques temáticos, que funcionaria em todo o bloco político.

Assim, caso um resultado favorável ao setor saia do encontro, a partir do próximo ano poderá ser implementada a nova resolução, que tornaria, oficialmente e permanentemente, os aparelhos destinados aos parques de diversões isentos de impostos.

"Para se ter uma ideia, uma pesquisa do Sindepat, que representa 18 parques temáticos, revelou que se isso de fato acontecer, no período de cinco anos a previsão é que 56 mil empregos sejam gerados, e um investimento de R$ 1,9 bilhão seja realizado em parques no Brasil", revelou o ministro Vinicius Lummertz.

Resta aguardar a reunião, que tem a possibilidade de ser antecipada já para outubro para agilizar o processo e escancarar as portas brasileiras para o investimento internacional no setor de parques temáticos.

O Portal PANROTAS é media partner do Industry Showcase & Tabletop Networking
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA