Entidades assinam protocolo de biossegurança para reabertura de agências

|

Filip Calixto
Magda Nassar, da Abav Nacional
Magda Nassar, da Abav Nacional
Com o lançamento do selo de biossegurança pelo Ministério do Turismo e a divulgação dos protocolos gerais por segmento
, as entidades da indústria começam a divulgar suas próprias medidas de segurança para a reabertura das empresas e reinício das atividades. Abav, Abracorp, AirTkt, Braztoa e Clia Brasil se uniram na elaboração de um conjunto de medidas de biossegurança para que agências de Turismo possam retomar as atividades nas lojas físicas, atendendo às recomendações sanitárias necessárias à interação de colaboradores e clientes, com o menor risco possível de contaminação pelo coronavírus.

"A retomada vai começar, de fato, quando as pessoas voltarem a se sentir seguras em viajar. Temos visto esse movimento em destinos que estão adiante de nós nesse sentido. Com esse protocolo de medidas demos um passo importante para que nossas agências façam as adequações necessárias e estejam preparadas quando a reabertura das atividades for autorizada”, explica a presidente da Abav Nacional, Magda Nassar. “O documento foi produzido e é assinado pelas nossas cinco associações, mas foi fundamentado em orientações das mais diversas entidades públicas e privadas do País. É uma contribuição importante que vai se somar à série de outros protocolos que estão sendo desenvolvidos por cada segmento do setor”, completa.

Hoje a prefeitura de São Paulo autorizou a reabertura de escritórios, por um período de quatro horas, e há um plano do Estado para reabertura em fases da economia. O mesmo está se dando em outros Estados do País.

Filip Calixto
Roberto Nedelciu, da Braztoa
Roberto Nedelciu, da Braztoa
“Sabemos que a segurança é fator determinante para a retomada das viagens e isso engloba a transparência de protocolos sanitários de todo o setor, principalmente os que envolvem a ponta dessa cadeia: as agências de viagens e operadoras de Turismo, que estão na linha de frente com os clientes. Na atividade das operadoras, esses direcionamentos são fundamentais para a retomada dos negócios, mas são uma das partes, já que as operadoras estão consolidando os protocolos de diferentes destinos, produtos e serviços, para continuar oferecendo as melhores experiências, com o máximo de segurança, a todos os clientes”, complementou o presidente da Braztoa, Roberto Nedelciu.

Emerson Souza
Marco Ferraz, da Clia Brasil
Marco Ferraz, da Clia Brasil
“Para a Clia Brasil, as pessoas estão sempre em primeiro lugar e isso inclui tanto nossos hóspedes, tripulantes e comunidades que visitamos, quanto os profissionais da cadeia turística. É importante ressaltar que os agentes de viagens e os operadores de Turismo, constituem o canal de vendas mais importante para as companhias de cruzeiros, já que, no Brasil, 90% das viagens de navio são reservadas por essas empresas e profissionais. Por isso, a criação dessas medidas sanitárias marca um importante passo para a retomada do setor de viagens, que está se moldando de maneira bastante responsável, seguindo os melhores protocolos e focada em cada etapa da reabertura econômica”, disse Marco Ferraz, presidente da Clia Brasil.

Emerson Souza
O diretor executivo da Air Tkt, Ralf Aasmann
O diretor executivo da Air Tkt, Ralf Aasmann
O diretor executivo da Air Tkt, Ralf Aasmann, ressalta que essa é mais uma iniciativa que une as principais do trade em um propósito único e em benefício coletivo do agenciamento de turismo, independentemente de serem ou não empresas associadas. “Com os ajustes necessários e as aprovações dos governos municipais vamos retomar nossas atividades com responsabilidade e a maior segurança possível”.

Emerson Souza
Gervásio Tanabe, da Abracorp
Gervásio Tanabe, da Abracorp
Na avaliação do presidente-executivo da Abracorp, Gervásio Tanabe, "as medidas de biossegurança são um passo decisivo para a retomada segura do mercado de viagens e turismo".

O documento pode ser acessado aqui.

Ele foi protocolado esta semana na Prefeitura da Cidade de São Paulo, e se aprovado autorizará a volta do atendimento presencial às agências da capital, podendo estender-se a outras localidades, mediante formalização com os governos locais.

Para ver os protocolos lançados pelo MTur, clique aqui.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA