Governo de SP desenvolve estratégias para retomada econômica

|

Como parte das estratégias para mitigar os efeitos da crise econômica causada pela pandemia de covid-19, o governo do Estado de São Paulo já iniciou os preparativos para uma ampla agenda internacional a ser cumprida em 2021, na busca por investimentos estrangeiros. A partir de setembro, a Secretaria de Relações Internacionais vai promover roadshows virtuais para retomar as ações já iniciadas antes da pandemia e atrair novas oportunidades de negócios para a geração de emprego e renda no Estado.

As missões internacionais previstas para 2021 incluem visitas aos Estados Unidos, Alemanha, Itália, China e Espanha. Como parte da agenda estratégica, o governo de São Paulo planeja abrir mais um escritório de representação em junho de 2021, dessa vez em Munique, na Alemanha. Já foram abertos escritórios em Xangai (China) em 2019 e em Dubai no início deste ano.

Divulgação
Júlio Serson, secretário de Relações Internacionais de São Paulo
Júlio Serson, secretário de Relações Internacionais de São Paulo
Apenas em 2019, as missões internacionais do Estado geraram aproximadamente R$ 14,7 bilhões em novos investimentos, incluindo novas fábricas e expansão de empresas - como a Bracell e a JCB. “Neste ano, nós conseguimos ir ao Fórum Econômico Mundial em janeiro e aos Emirados Árabes para uma série de reuniões que também geraram novos investimentos. Mas é difícil falar em números, pois a pandemia causou a suspensão das viagens já no primeiro trimestre”, disse o secretário de Relações Internacionais de São Paulo, Júlio Serson, que também é diretor do Centro de Comércio do Estado, vice-presidente da ABIH e membro do Conselho Nacional do Turismo

IMPACTOS PARA A ECONOMIA DO ESTADO

Apesar da paralisação causada pela covid-19, o Brasil planeja leiloar concessões de aeroportos no início de 2021, incluindo o Aeroporto de Congonhas (SP). De acordo com o secretário de RI, o cenário para as concessões é otimista devido ao início da retomada econômica. “Os aeroportos, portos, rodovias e ferrovias fazem parte de uma série de pontos de entrada que o governo pretende e vai privatizar. A médio prazo nós vamos conseguir oferecer essas oportunidades de investimentos no Estado”, ressaltou.

Outro impacto sentido pelo Estado foi o esvaziamento da Agência de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex). “O governo federal vai ter que retomar a importância da Apex, pois ela é fundamental para o comércio brasileiro. Tanto no escritório de representação em Dubai quanto no de Xangai, os funcionários são oriundos da Apex. Entretanto, nós em São Paulo temos que tocar os negócios, pois precisamos focar na retomada do crescimento econômico. Como diz o governador, a melhor política social é o emprego”, explicou Serson.

Já a reforma administrativa do Estado, capitaneada pelo secretário Mauro Ricardo, não deve causar grandes impactos à projeção internacional de São Paulo. “A crise atingiu não só o setor privado, mas o público também. Não acreditamos que o nosso trabalho será prejudicado pois nós conseguimos atrair mais recursos através de oportunidades de investimentos. Mas a reforma é muito importante e precisa ser feita para superarmos as dificuldades impostas pela crise”, afirmou o secretário de RI.

PLANOS PARA A RECUPERAÇÃO ECONÔMICA

Além dos investimentos estrangeiros, o Estado de São Paulo está desenvolvendo um plano de retomada econômica para 2021 e 2022, que será apresentado pelo secretário da Fazenda Henrique Meirelles no início de outubro. Segundo Serson, todos os setores serão retomados com segurança, priorizando a saúde da população. “Existe um comitê de contingências que está muito atento ao que pode e não pode ser feito. As nossas decisões são tomadas baseadas, exclusivamente, na questão da saúde. Ainda é muito cedo para dizer que a pandemia está totalmente controlada, mas eu acredito que no próximo ano nós teremos boas notícias para todos os setores produtivos”, disse.

Segundo o secretário, o Turismo está sendo olhado com prioridade pelo governo do Estado. A Desenvolve São Paulo, por exemplo, tem trabalhado em iniciativas para apoiar a hotelaria, especialmente os pequenos e médios hoteleiros. “O secretário Vinicius Lummertz vem fazendo um grande trabalho e está muito atento às necessidades do setor. Estamos olhando com muita atenção para o Turismo e a hotelaria porque são atividades muito importantes para o Estado. Estamos em busca de soluções para que o Turismo seja retomado, mas sempre com absoluta segurança e com a priorização da saúde”, finalizou.

 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA