Selo Turismo Responsável, do MTur, chega à marca de 20 mil pedidos

|

MTur
O selo “Turismo Responsável - Limpo e Seguro”, criado pelo Ministério do Turismo para orientar viajantes e empresas em relação aos cuidados e protocolos de combate à covid19, atingiu, nesta sexta-feira, 28,
a marca de 20 mil prestadores de serviços turísticos. Os segmentos com maior número de solicitações do selo são: agências de turismo (6.285), meios de hospedagem (4.738) e guias de turismo (2.720). Já os Estados que registraram a maior adesão à iniciativa são: São Paulo (3.961), Rio de Janeiro (2.848), Minas Gerais (1.784), Bahia (1.410) e Rio Grande do Sul (1.051).

Para auxiliar os empreendimentos sobre as medidas recomendadas para a reabertura, o Ministério do Turismo publicou os protocolos sanitários recomendados para 15 atividades turísticas que fazem parte do Cadastro de Prestadores de Serviços Turísticos (Cadastur), além de um conjunto de orientações também para os turistas.

“A grande adesão do setor ao selo mostra que estamos no caminho certo para o início da retomada do turismo brasileiro, tão afetado por esta pandemia. Estamos entre os dez primeiros países em todo o mundo que tiveram essa preocupação em apresentar esse selo que atenderá aos anseios do setor e dos turistas, que estarão mais atentos aos protocolos de biossegurança”, comentou o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio.

O Recanto Cardoso, localizado em Altamira, no Pará, é um dos mais de 20 mil prestadores de serviços turísticos que adotaram o selo de biossegurança do Ministério do Turismo. Segundo a administradora do local, Elisângela Cardoso, o protocolo ajudou o local a tomar decisões acertadas para garantir a segurança do turista. “Ele é importante para o empreendedor, para os funcionários e para os turistas. Ele dá uma garantia a todos e serve como embasamento para que a gente possa tomar as medidas de segurança para todos. O turista chegando aqui ele fica mais seguro, quando ele vê que a empresa está adotando tais protocolos”, pontuou.

SELO
Para solicitar o selo, o interessado deve acessar o site da iniciativa, ler as orientações previstas no protocolo destinado ao segmento em que atua e estar com situação regular no Cadastur. Em caso positivo, ele adere à autodeclaração que atende aos pré-requisitos determinados e é encaminhado para uma área do site onde pode realizar o download do selo para impressão.

O selo, que é totalmente gratuito, deverá ser colado em local de fácil acesso ao cliente e conterá um QR Code pelo qual o turista poderá consultar as medidas adotadas por aquele empreendimento e/ou profissional. Além disso, possibilitará a realização de denúncias em caso de descumprimento, o que poderá resultar em revogação do selo.

Estão disponíveis protocolos para: Meios de Hospedagem; Agências de Turismo; Transportadoras Turísticas; Organizadoras de Eventos; Parques Temáticos; Acampamentos Turísticos; Restaurantes, Cafeterias, Bares e similares; Parques Temáticos Aquáticos; Locadoras de veículos para turistas e Guias de Turismo, entre outros.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA